Vendas de máquinas agrícolas desabam no governo Lula

Entre janeiro e outubro de 2023 as vendas de máquinas agrícolas caíram 10% no Brasil, em comparação ao mesmo intervalo do ano anterior. Os dados são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O resultado marca o primeiro ano da volta de Luiz Inácio Lula à Presidência da República.

Nos dez primeiros meses de 2023, as vendas de máquinas agrícolas fecharam em 44,6 mil unidades. No mesmo período do ano anterior, esse mercado fechou em 49,6 mil unidades.

Mercado de máquinas agrícolas no Brasil

Em meio a retração, a Anfavea reduziu ainda mais as projeções para o desempenho de 2023. Em fevereiro, a associação estimava que 65 mil unidades seriam comercializadas ao longo do ano. Com a revisão no cálculo em novembro, as projeções caíram para cerca de 60 mil.

“A Anfavea revisou as vendas de máquinas agrícolas para uma queda de 10% no ano, pior do que a retração de 3,5% projetada no início de 2023”, informa o texto.

De acordo com as estimativas do órgão, esse mercado fechou em 67,4 mil máquinas unidades em 2022 — uma marca recorde. Assim, se as projeções se confirmarem, serão quase 7 mil unidades a menos.

O queda do desempenho ocorre mesmo com o crescimento da agricultura do país. Em 2023 os produtores locais colheram a maior safra de grãos da história do Brasil — o carro-chefe do agronegócio nacional. Foram praticamente 323 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies