Tragetória de Gabigol até ele se tornar um dos maiores ídolos no Flamengo

Gabriel Barbosa de Almeida, nascido em 30 de agosto de 1996, e mais conhecido pelos brasileiros como Gabigol, se tornou um dos jogadores mais importantes do Flamengo mesmo com a pouca idade.

O atacante se tornou um nome histórico do rubro-negro carioca já no começo da sua passagem, onde se destacou em momentos em quase todos os momentos, especialmente os decisivos.

Começo de Gabigol no futebol

Gabigol começou a sua carreira como jogador profissional no Santos F.C. no ano de 2013. Naquele momento, o time do estado de São Paulo enxergou a capacidade de finalizar com tranquilidade e o excelente posicionamento na área.

Por isso, devido aos inúmeros gols marcados na base, o jovem atleta passou a ser chamado carinhosamente de “Gabigol”.

A princípio, Gabriel Barbosa começou se destacar logo nas primeiras temporadas como profissional do Santos. Em 2014, por exemplo, ele já se tornou artilheiro do time paulista na Copa do Brasil.

Como resultado de um ótimo desempenho na Copa do Brasil se repetiu no ano seguinte, quando jogador marcou oito gols na principal competição de mata-mata do futebol brasileiro.

Venda de Gabigol a Inter 

Se tratando um dos principais atacantes do futebol brasileiro, o Santos viu aumentar as sondagens sobre Gabriel Barbosa. Todavia, após meses de muitas especulações, o jogador foi comprado pela Internazionale de Milão, em um negócio de 25 milhões de Euros, cerca de R$ 100 milhões na cotação da época.

Gabigol chegou na Itália com o status de artilheiro. Por conta de ser um atacante brasileiro, jovem e ainda mais um atleta caro, a torcida do time italiano acreditou que Gabriel tinha tudo para deslanchar na equipe.

Os desafios de Gabigol na Itália eram gigantescos. Além de se adaptar rapidamente ao futebol europeu, o jogador precisava brigar por espaço com o técnico holandês Frank de Boer, treinador que não teve uma boa relação com o brasileiro.

A relação do técnico com o brasileiro foi nada boa. Em vários momentos, o treinador criticava o brasileiro nas entrevistas coletivas. Apesar disso, Gabigol não teve muitas chances de demonstrar o seu futebol.

A estreia do atacante brasileiro no time italiano ocorreu um mês após a sua contratação. Após isso, o treinador holandês deixou Gabigol mais de dois meses em entrar em campo. Com pouco espaço, começou a surgir especulações de uma saída seis meses após a sua contratação.

Com a saída de Frank de Boer, Gabigol passou a ter mais oportunidades com o técnico Stefano Pioli. Ele entrou em campo 10 jogos, marcando apenas um gol neste meio tempo. Com isso, começou a surgir sinais que a relação do jogador com o clube já era insustentável. 

Finalmente, os dirigentes do time italiano entenderam que a melhor opção era emprestá-lo para que o jogar tivesse mais espaço para mostrar o seu futebol.

Gabigol no Benfica 

Após duas temporadas ruins na Itália, Gabigol teve a grande chance de brilhar em outro time do futebol europeu. O clube da vez foi o Benfica, um dos times mais importantes de Portugal.

Em agosto de 2017, o time italiano acertou o empréstimo de Gabi para o clube português por uma temporada. 

Ainda quando jovem, meu pai me dizia de uma disputa de 1962, entre Santos e Benfica, que decidiu o Mundial daquele ano. De um lado, o Rei Pelé. Do outro, a lenda portuguesa Eusébio. Ficava imaginando… Que honra aqueles jogares tinham em poder atuar por aquelas equipes gloriosas”, disse Gabigol na apresentação.

Menos de seis meses após o empréstimo, o Benfica entendeu que não valeria a pena continuar contando com o atacante. Logo depois, os dirigentes do Benfica informaram ao jogador que ele poderia procurar um novo clube.

Retorno ao Santos 

Em janeiro daquele mesmo ano, o Santos surpreendeu ao anunciar o retorno do jogador por empréstimo de uma temporada. A fim de contar com o jogador, a diretoria do Santos ofereceu a Inter R$ 6 milhões para contar com o atleta por um ano. Na ocasião, Gabigol foi sondado por outros clubes do futebol brasileiro, entretanto, o jogador deixou claro que o seu foco era voltar a jogar com a camisa do Santos. 

O atacante teve um ano espetacular. Com a camisa do Peixe, Gabigol terminou aquela temporada como artilheiro do Brasileirão (18 gols) e da Copa do Brasil (quatro gols). O atacante fez 53 jogos naquela temporada, onde marcou 27 gols ao todo.

Acerto com o Flamengo 

Após uma excelente temporada com a camisa do Santos, o futuro de Gabigol continuava indefinido. Mesmo jogando bem, o time italiano não queria contar com o atleta. Na ocasião, o Flamengo surgiu como um dos fortes candidatos. Ao mesmo tempo, o Fla tinha a concorrência do West Ham, da Inglaterra, que também queria contar com o seu futebol.

Com contrato até o ano de 2021, o Flamengo aceitou contar com Gabigol emprestado por uma temporada. Com o intuito de convencer os italianos, o Fla ofereceu pagar 100% do salário do jogador ao longo daquela temporada.

A negociação foi demorada, entretanto, a vontade do jogador em vestir a camisa do Flamengo fez toda a diferença na hora de negociar com os italianos. Em contrapartida, o time italiano solicitou a renovação do contrato por mais uma temporada para facilitar as conversas pelo empréstimo.

Temporada perfeita e compra definitiva pelo Flamengo 

Gabigol teve um ano para mostrar que poderia ser um atleta do clube por muitas temporadas. Com toda certeza a resposta em campo foi imediata, com o jogador mostrando um grande futebol, caindo nas graças da Torcida Rubro-Negra.

O atacante foi fundamental para levar o Fla para a decisão da Libertadores da América daquele ano. Na decisão contra o River Plate, ele fez os dois gols históricos, entrando de vez para a lista dos maiores atletas da história do rubro-negro. Além disso, o jogador foi fundamental na conquista do título do Campeonato Brasileiro daquele ano. 

Assim que terminou a temporada, o Fla começou a negociar os detalhes da compra do atacante. A compra do atacante por parte do Mengão não foi nada barata, custando algo em torno de 18 milhões de Euros, cerca de R$ 83 milhões.

Hoje, Gabriel Barbosa, Gabi ou simplesmente o Gabigol, se tornou um dos maiores ídolos da História do Flamengo, não apenas pelos 249 Gols, mas pela sua personalidade, garra, identificação com a torcida, jogadores, ídolos do passado e funcionários do flamengo. Gabigol já é eterno para a Torcida Rubro-Negra.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies