Soldado de Israel mostra túnel usado pelos terroristas do Hamas

O porta-voz das Forças de Resguardo de Israel (FDI), soldado Daniel Hagari, mostrou um túnel usado pelo grupo terrorista Hamas, que fica sob o Hospital Rantisi, em Gaza. 

EXCLUSIVE RAW FOOTAGE: Watch IDF Spokesperson RAdm. Daniel Hagari walk through one of Hamas’ subterranean terrorist tunnels—only to exit in Gaza’s Rantisi hospital on the other side.

Inside these tunnels, Hamas terrorists hide, operate and hold Israeli hostages against their… pic.twitter.com/Nx4lVrvSXH

— Israel Defense Forces (@IDF) November 13, 2023

Segundo as FDI, dentro do túnel, os terroristas se escondiam, operavam e mantinham reféns civis israelenses.

“Hoje cedo, nossas forças chegaram ao Hospital Rantisi”, disse Hagari. “Na operação, expusemos a infraestrutura terrorista. Vamos revelar o que vimos e provar ao mundo que o Hamas transformou hospitais em sua máquina terrorista.”

O Ministro da Resguardo Israelense, Yoav Gallant, disse em seu Twitter/X que os terroristas do Hamas construíram “cinicamente” uma base sob o hospital. Segundo Gallant, o Hamas faz a mesma coisa “em outros hospitais e instituições civis”. 

Tonight – the world got to see what we have known for years.

The Hamas terrorist organization has cynically built a terror base underneath the “Rantisi” hospital in Gaza, just as it does in additional hospitals and civilian institutions. pic.twitter.com/ByQ9JRcZns

— יואב גלנט – Yoav Gallant (@yoavgallant) November 13, 2023

“Em vez de encontrar equipamento médico, encontraram munições, explosivos e sinais claros de que reféns israelitas foram mantidos ali”, disse Gallant.

O ministro ainda afirmou que Israel vai continuar a operação contra o Hamas. Ele garantiu que nenhuma base terrorista ficará intocada em Gaza.

Túnel usado pelo Hamas passava por hospital

Benjamin Netanyahu

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou no último domingo, 12, que seu país ofereceu combustível ao Hospital Al-Shifa, o maior da Filete de Gaza. O premiê revelou, no entanto, que os terroristas do Hamas recusaram a oferta.

A unidade de saúde suspendeu as operações depois de permanecer sem combustível.

O primeiro-ministro foi interpelado pela emissora norte-americana NBC News se as alegações israelenses de que o Hamas tinha um posto de comando sob o hospital justificavam colocar em risco a vida de pessoas e bebês doentes. “Não temos nenhuma guerra com pacientes ou civis”, respondeu Netanyahu.

Os terroristas estão se escondendo em hospitais e querem roubar o combustível oferecido pelos israelenses para usá-lo em “sua máquina de guerra”, segundo o premiê.

As FDI abriram, neste domingo, 12, o segundo galeria humanitário para a população sítio se trasladar para o sul da Filete de Gaza, região mais segura do enclave.

Já as autoridades palestinas, controladas pelo Hamas, afirmaram que as ofensivas de Israel tornaram perigosa a saída de mais pessoas do setentrião de Gaza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies