Senado deve contratar vigilantes por R$ 30 milhões

O Senado reservou pouco mais de R$ 30 milhões para a contratação de quase 325 seguranças, por 12 meses.

De acordo com o pedido, os profissionais vão cuidar das dependências da Casa, dos apartamentos funcionais dos parlamentares e da residência oficial do presidente Rodrigo Pacheco.

“Em razão da ocorrência do dia 8 de janeiro de 2023, foi verificado aumento significativo no risco de atentado contra a vida de parlamentares e seus familiares”, justificou o Senado, depois de mencionar a necessidade de controle e segurança dos congressistas. “Desse modo, entende-se imprescindível reforçar o efetivo em pontos estratégicos de vigilância, com a ampliação de profissionais diurnos e noturnos.”

Conforme a encomenda, o “acréscimo de postos de trabalho viabilizará a realização de rondas nos perímetros das edificações, bem como maior controle de acesso de veículos e pedestres”.

Grades do Senado

Em dezembro do ano passado, o Senado disponibilizou R$ 400 mil para comprar grades. A solicitação foi feita dias antes da sabatina do ministro da Justiça, Flávio Dino, para o Supremo Tribunal Federal.

À época, manifestantes de direita se organizavam nas redes sociais para protestar contra Dino. A Casa argumentou que os equipamentos serviriam para garantir a segurança do Congresso Nacional.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading