Saiba o que fazer caso tenha o Bolsa Família BLOQUEADO

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O Bolsa Família, um dos principais programas de assistência social do Brasil, atende a mais de 20 milhões de cidadãos em situação de vulnerabilidade social. Sob a gestão do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), este benefício é vital para milhões de famílias de baixa renda em todo o país.

No ano de 2023, o Bolsa Família foi reintroduzido por meio de uma Medida Provisória (MP) do governo Lula, substituindo o Auxílio Brasil, que estava em vigor nos anos de 2021 e 2022, e que por sua vez havia sucedido o programa Bolsa Família original, criado em 2003. De acordo com o MDS, essa transição resultou no bloqueio do auxílio para muitos de seus beneficiários devido a inconsistências nos dados. Sendo assim, se você faz parte desse grupo que teve o Bolsa Família bloqueado, confira a seguir como proceder para voltar a ter a ajuda do governo.

A boa notícia é que o bloqueio do Bolsa Família pode ser resolvido de forma relativamente simples por meio da atualização do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Portanto, esse banco de dados é fundamental para a identificação e qualificação de cidadãos brasileiros que fazem parte de programas de assistência social.

De acordo com as informações dadas pelo governo, para desbloquear o Bolsa Família, o primeiro passo é entrar em contato com o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) da sua cidade e atualizar as informações no Cadastro Único. Um dos dados fundamentais a serem informados é a renda familiar mensal, que não deve ultrapassar o limite de R$ 218 por pessoa na família. Portanto, não se esqueça de levar os documentos pessoais, a carteira de trabalho e uma conta recente que comprove o seu endereço.

Além disso, a composição familiar precisa ser informada corretamente, pois isso pode resultar em benefícios adicionais, como o Benefício da Primeira Infância (BPI) e o Benefício Variável Familiar (BVF). O BPI é concedido no valor de R$ 150 para famílias que incluem crianças, jovens e gestantes. Já o BVF oferece um apoio de R$ 50. Sendo assim, após a regularização do benefício, que pode durar até 90 dias, quaisquer valores não pagos durante o período de bloqueio são depositados retroativamente na conta da família beneficiária durante o próximo pagamento.

Calendário de pagamento em novembro

Os pagamentos do Bolsa Família são realizados nos últimos dez dias úteis de cada mês, de acordo com o NIS de cada beneficiário. Sendo assim, para o mês de novembro, o cronograma de pagamento é o seguinte:

  • NIS com final 1: 17 de novembro;
  • NIS com final 2: 20 de novembro;
  • NIS com final 3: 21 de novembro;
  • NIS com final 4: 22 de novembro;
  • NIS com final 5: 23 de novembro;
  • NIS com final 6: 24 de novembro;
  • NIS com final 7: 27 de novembro;
  • NIS com final 8: 28 de novembro;
  • NIS com final 9: 29 de novembro;
  • NIS com final 0: 30 de novembro.

É essencial estar atento a esse calendário para garantir o recebimento oportuno do benefício. Portanto, ao seguir as instruções mencionadas acima e ficar atento às datas de pagamento, você poderá resolver o bloqueio do Bolsa Família e continuar a contar com esse importante suporte para sua família. Portanto, lembre-se de que a regularização do seu Cadastro Único é fundamental para manter esse benefício essencial em funcionamento.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies
%d blogueiros gostam disto: