Rubinho Nunes aciona Ministério Público e acusa perito da Fórum de falsidade ideológica

O vereador paulistano Rubinho Nunes (União Brasil) acionou o Ministério Público do Estado contra o perito Mario Gazziro, escolhido pela revista Fórum para analisar os vídeos pornográficos do padre Júlio Lancellotti.

Na denúncia, protocolada na sexta-feira 1º, o parlamentar acusa o perito de falsidade ideológica. Isso porque Gazziro mudou sua versão inicial sobre o caso, que mostrava indícios de deepfake na gravação. Essa teoria foi descartada posteriormente pelo mesmo perito.

No relatório mais recente, Gazziro rechaça a hipótese de montagem e confirma a veracidade das cenas. A nova versão trabalha com a seguinte teoria: criminosos teriam contratado um sósia de Júlio Lancellotti, construído um estúdio idêntico à sua residência e gravado as cenas. “Diminuíram ao máximo a exposição do impostor no vídeo, para evitar quaisquer aspectos que possibilitassem identificar a fraude de forma simples”, justificou.

Rubinho Nunes afirma que Gazziro tinha o objetivo de descredibilizar o trabalho dos peritos Reginaldo e Jacqueline Tirotti, que confirmaram a integridade dos vídeos desde o início. “A ideia era livrar a barra do Júlio Lancellotti”, escreveu o vereador, no Twitter/X.

No documento atualizado, Gazziro admite que Reginaldo e Jacqueline analisaram corretamente as imagens. “O novo material não apresentou indícios de edição ou montagem”, ressaltou.

Entenda o que mudou na perícia de Mario Gazziro sobre o vídeo de Júlio Lancellotti

No primeiro relatório, Gazziro constatou montagens no vídeo que mostra o padre se masturbando para um jovem de 16 anos. O perito da Fórum analisou as mesmas cenas que agora diz serem verdadeiras, mas alega que o arquivo verificado anteriormente era outro.

O vídeo analisado no primeiro laudo é o mesmo que circulou na internet em 2020. À época, o perito Onias Tavares de Aguiar já havia atestado a veracidade do conteúdo. Seu relatório foi usado pelo então deputado estadual Arthur do Val, que apresentou uma denúncia ao Ministério Público (MP).

Oeste interpelou o órgão sobre o motivo do arquivamento da denúncia de 2020, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem. Também não há informações sobre a mais recente denúncia contra o padre, apresentada pelo próprio Rubinho Nunes ao MP.

Leia o novo laudo completo

Laudo do Estadão e da Fórum – Padre Júlio Lancellotti (Atulizado) by Revista Oeste on Scribd

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies