Quer vencer e lucrar no mercado? O primeiro passo é “sobreviver”

Se você quer viver do mercado, lucrando com operações de day trade, swing trade ou até mesmo scalping, precisa ter uma série de atitudes e hábitos que levem ao sucesso.

Mas não adianta ter o melhor setup ou o mindset mais apropriado, se você não tiver uma prioridade fundamental: sobreviver como investidor, ou seja, evitar a todo o custo o risco de ruína.

“O risco de ‘quebrar’ sempre existe”, lembra o especialista Marco R. Simonetto, da ActivTrades.

Por isso, ele ressalta a importância do investidor trabalhar para se manter sempre no jogo, evitando perdas acentuadas, que podem inclusive leva-lo à lona.

“Dependendo dos níveis de taxa de acerto, meta de ganhos por trade e relação risco/prejuízo, as chances de ‘quebrar’ aumentam. Aconselho que o investidor use um sistema adequado, com uma boa taxa de acerto, ou menor risco por trade, por exemplo. É preciso adequar estas variáveis para evitar a todo o custo o risco de ruína’”, aconselha Simonetto.

Para isso, é fundamental ter um ótimo gerenciamento de riscos, estipulando os níveis aceitáveis de perdas, usando o stop loss da forma correta.

“Você deve estipular o nível de perda que suporta naquela operação. Se o mercado cair mais do que aquilo, você se preserva e fica fora do trade”, diz o especialista.

Reduza a alavancagem

Lembre-se que a alavancagem pode ser um bom instrumento para aumentar seus lucros, mas ela precisa ser utilizada da forma correta – caso contrário, suas perdas podem sair do controle e você será retirado do “game”.

Se você está amargando prejuízos nas suas operações pode ser que o problema esteja no nível de alavancagem.

Este tipo de artifício oferece uma possibilidade de ganhos elevados, mas as perdas também são proporcionalmente altas e podem levar o investidor à ruína se não houver um bom gerenciamento de riscos.

“É preciso olhar os dois lados da moeda com a alavancagem”, afirma Simonetto. Ele afirma que muitos dos seus mentorados operam com alavancagem superior ao ideal. “Depois que fazemos um estudo e diminuímos o nível de alavancagem eles passam a ter resultados muito melhores”, afirma.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies