Quem era Griselda Blanco, a Madrinha da Cocaína temida por Pablo Escobar

Griselda Blanco foi uma narcotraficante da década de 1970. Com o apelido de Madrinha da Cocaína, sua história ganhou uma série, já disponível na Netflix, desde 25 de janeiro.

A produção começa com uma frase de Pablo Escobar: “O único homem que temi em minha vida foi uma mulher, chamada Griselda Blanco”.

Griselda nasceu em 1943, na Colômbia, e foi uma das pioneiras do crime organizado. Ela criou rotas para levar drogas de Medellín a Miami.

A criminosa era líder do cartel da cidade entre as décadas de 1970 e 1980, período anterior ao de Pablo Escobar. O narcotraficante seguiu os caminhos de Griselda para levar drogas aos Estados Unidos.

A história de Griselda Blanco, a Madrinha da Cocaína

A condenação de Griselda era de 50 anos, mas ela só completou 20 na cadeia | Foto: Reprodução/Redes sociais

Ainda aos 11 anos, Griselda Blanco sequestrou um garoto de um bairro nobre, próximo ao seu. Ela ainda o matou por não receber o dinheiro do resgate.

Com a mesma idade, já roubava carteiras. Pouco depois, fugiu de casa para escapar dos abusos sexuais de seu padrasto.

O apelido de “viúva negra” não veio por acaso. Griselda se casou três vezes. A história conta que ela encomendou a morte do segundo marido e executou o terceiro. O seu primeiro companheiro teria influência sobre sua entrada no mundo das drogas. Ele falsificava passaportes e traficava pessoas.

A família Blanco, formada pelo casal e pelos quatro filhos, se mudaram para os EUA, de maneira ilegal, em 1964. Antes de morrer, seu marido a colocou em contato com o mundo das drogas em Nova York. A traficante utilizava uma loja de roupas íntimas para disfarçar o transporte de entorpecentes.

Em 1975, Griselda foi indiciada por conspiração e tráfico de drogas, mas voltou ao seu país natal antes de ser presa. Ela retornou ao país norte-americano em 1980 e se consolidou como uma das principais narcotraficantes daquele território. Estima-se que seus lucros giravam em US$ 80 milhões mensais.

Ela matou milhares de pessoas e foi presa em 1985, em sua casa na Califórnia, pela Administração de Fiscalização de Drogas (DEA) dos Estados Unidos. Griselda recebeu a condenação de 50 anos de prisão, mas só completou 20 na cadeia.

Depois da prisão, ela passou a viver na Colômbia discretamente. Griselda foi assassinada em 2012, aos 69 anos, em Medellín, ao sair de um açougue.

Atriz leva processo de filho da traficante

De acordo com o o site norte-americano TMZ, a família de Griselda Blanco processou a produtora de filmes e serviço de streaming Netflix e a atriz Sofia Vergara, protagonista da série. Eles acusam as partes de utilizarem imagens da família da narcotraficante sem autorização.

Michael Corleone Blanco, o filho da narcotraficante, criticou a caracterização da atriz na série e disse que Sofia rejeitou a sua sugestão de ser consultor da produção. Ele também alegou que não recebeu nada por causa das ideias passadas para a plataforma.

Elysa Galloway, a advogada de Michael, disse que Sofia Vergara não consultou nenhum familiar de Griselda Blanco. Ela caracterizou a produção como “próprio ganho comercial” e afirmou que a atriz agiu de modo “desrespeitoso”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies