Prefeitura de Teresina começa a aplicar vacina de reforço contra a Covid-19 em trabalhadores da saúde

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) iniciou nesta segunda-feira (29/01) a dose anual de vacina contra a COVID-19 para os trabalhadores de saúde. De acordo com as novas regras do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, este é um dos grupos que deve tomar novos reforços uma vez ao ano.

Para ter acesso, basta se dirigir a um ponto de vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Teresina Shopping. O horário de funcionamento do shopping é das 10h às 20h, e nas UBS das 8h às 12h e das 13h às 17h. No momento da vacinação, é necessário apresentar o cartão de vacina, CPF ou cartão do SUS e um documento que comprove que a pessoa trabalha na saúde, como um contracheque ou um contrato de trabalho. Para receber a vacina, é preciso ter um intervalo de no mínimo seis meses da dose anterior.

Além dos trabalhadores da saúde, a vacina já está sendo aplicada nos idosos (60 anos e mais), pessoas imunossuprimidas e idosos em instituições de longa permanência e seus trabalhadores. “Até o momento, já vacinamos 181 idosos em sete abrigos”, comenta Emanuelle Dias, coordenadora de vacinação da FMS.

Os demais grupos prioritários serão contemplados em breve, de acordo com a capacidade logística da FMS e disponibilidade de doses recebidas. São eles: gestantes e puérperas, indígenas, pessoas com deficiência permanente, pessoas com comorbidades, pessoas em situação de rua, pessoas privadas de liberdade, adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional. Para os idosos, imunocomprometidos, gestantes e puérperas a recomendação é um reforço a cada seis meses. Já os demais grupos devem tomar uma dose anual.

Crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos receberão três doses (Foto: Reprodução)

CRIANÇAS

A nova orientação do Ministério da Saúde diz ainda que a vacina contra a COVID-19 passa a integrar o calendário de rotina de todas as crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), que receberão três doses. “Reforçamos que as crianças desta faixa etária que já receberam três doses da vacina anteriormente são consideradas imunizadas e não precisam se vacinar novamente”, explica Emanuelle Dias.

Já o grupo de pessoas entre 5 e 59 anos que não estão nos grupos prioritários, pela nova orientação do PNI, não tem mais a recomendação de tomar novas doses de reforço rotineiramente, sendo considerado imunizado com as duas doses do esquema primário. “É importante destacar que, à medida que forem obtidas novas aprovações regulatórias e que vacinas adaptadas às novas variantes estiverem disponíveis no país, as recomendações e os esquemas de vacinação podem ser atualizados pelo Ministério da Saúde”, diz a coordenadora.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies