Prefeito comunista gasta R$ 1 milhão com show de Gusttavo Lima

O prefeito de Campo Alegre de Lourdes (BA), Enilson Marcelo Rodrigues da Silva, resolveu gastar R$ 1,3 milhão dos cofres públicos para contratar o cantor Gusttavo Lima para um show. O detalhe é que a cidade, localizada no noroeste baiano, está em situação de emergência por causa da estiagem na região. Silva é comunista, sendo filiado ao PCdoB.

Conforme o jornal O Globo, a situação de emergência no município foi declarada em setembro de 2023. Tal condição é válida por 180 dias (ou seja, vai até março). Assim, a prefeitura local pode pedir recursos financeiros emergenciais ao governo do Estado — o que dispensa, por exemplo, processos licitatórios.

O show de Gusttavo Lima está previsto para fazer parte das festejos em homenagem à Nossa Senhora de Lourdes, a ser comemorada em 9 de fevereiro. A santa da Igreja Católica é padroeira do município baiano.

Sobre o contrato de Gusttavo Lima

De acordo com as informações, o prefeito comunista contratou o show sem licitação e parcelou em cinco vezes o preço total. O Globo informa que a apresentação do cantor sertanejo pode durar uma hora e meia e o valor de cachê é de R$ 1,1 milhão. Os outros R$ 200 mil vão custear o transporte do artista e sua equipe.

O contrato é três vezes mais caro do que todo o montante destinado ao orçamento da Cultura da cidade no ano passado, que foi de R$ 413 mil.

A cifra também se aproxima do total destinado à pasta de Urbanismo, que ganhou R$ 1,6 milhão em 2023. No entanto, a secretaria de Esporte e Lazer conseguiu arrecadar cerca de R$ 485 mil.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o prefeito justificou o gasto com o artista com base no retorno econômico que trará ao município.

“A festa traz gente de 20 cidades vizinhas, atrai de 30 a 40 mil pessoas”, disse Silva, e acrescentou que isso “gera riqueza para o município, movimenta restaurantes e atrai ambulantes”.

Enilson Marcelo Rodrigues da Silva, prefeito de Campo Alegre de Lourdes | Foto: Reprodução/Facebook/Dr. Enilson

De acordo com o comunista, sua gestão tem responsabilidade fiscal, não atrasa salários de servidores e inaugura uma obra a cada dez dias. “Somos um município com as contas em dia”, afirma.

O prefeito também disse que o decreto de emergência segue em vigor, embora os índices pluviométricos neste início de ano tenham melhorado.


Estêvão Júnior é estagiário da Revista Oeste em São Paulo. Sob supervisão de Anderson Scardoelli

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies