Polícia Federal combate fraudes previdenciárias realizada por advogados no Piauí, Maranhão e Pará

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Nesta sexta-feira (17/11), a Polícia Federalista (PF) deflagrou a Operação Patronos, visando combater crimes de fraudes previdenciárias cometidos por advogados dos estados do Piauí e Maranhão. Os advogados ingressaram com diversas ações previdenciárias, na Justiça Federalista de Marabá, no Pará,, utilizando documentos falsos e informações ideologicamente falsas.

Foram localizados 1.086 processos com o mesmo modus operandi, gerando um prejuízo para os cofres públicos estimado entre R$ 9.086.306,57 (nove milhões, oitenta e seis milénio, trezentos e seis reais e cinquenta e sete centavos) até R$ 15.957.673,14 (quinze milhões, novecentos e cinquenta e sete milénio, seiscentos e setenta e três reais e quatorze centavos), além do prejuízo com a perenidade do recebimento dos benefícios.

A operação visa executar quatro mandados de procura e mortificação domiciliar, inclusive em escritórios de advocacia dos investigados, muito uma vez que retraimento de sigilo de dados telemáticos dos alvos da operação, nas cidades de Teresina, no Piauí, e em Santa Luzia, no Maranhão.

A Justiça Federalista em Marabá decretou o sequestro de valores – R$ 9.086.306,57 (nove milhões, oitenta e seis milénio, trezentos e seis reais e cinquenta e sete centavos) constantes nas contas bancárias dos investigados, muito uma vez que mortificação de bens de proeminente valor provenientes do delito. Confirmadas as hipóteses criminais investigadas, os envolvidos poderão responder pelos crimes de estelionato previdenciário.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies
%d blogueiros gostam disto: