PicPay: oportunidade de rendimento de até 162% ao ano! Quais são os riscos?

Nos últimos dias, um post no antigo Twitter, agora X, chamou atenção de milhares de usuários, especialmente aqueles interessados em alternativas de investimentos. A publicação, feita pelo influencer Jefinho Menezes, falava sobre o emergente Clube do Empréstimo PicPay, uma modalidade de empréstimo de pessoa física para pessoa física que promete retornos atraentes para os investidores.

Com juros que, de acordo com a postagem, podem alcançar até 162% ao ano, muitos se perguntam: “Como isso é possível?” e “Isso é realmente legal?”.

Como funciona o Clube do Empréstimo PicPay?

Para entendermos melhor o que é proposto, precisamos primeiro compreender o termo P2P Lending (Peer-To-Peer Lending). Essa modalidade, liberada pelo Banco Central em 2018, funciona de maneira parecida com o sistema torrent – através de uma rede descentralizada de usuários. A ideia é proporcionar uma alternativa de empréstimo onde não há a necessidade de um intermediário tradicional, como um banco.

O influencer Jefinho Menezes compara o Clube do Empréstimo PicPay ao modelo de negócios do Uber: a empresa apenas intermedia quem precisa de dinheiro com quem tem dinheiro sobrando para investir. Apesar, o influencer alerta que nem sempre os juros para o tomador serão baixos e que PicPay cobra uma taxa de administração do investidor.

O Clube do Empréstimo PicPay é permitido, afinal o empréstimo de pessoas físicas para pessoas físicas é liberado pelo Banco Central. Porém, é importante notar que a oferta é realizada como correspondente bancário da Crednovo Sociedade de Empréstimo entre Pessoas S.A.

Em relação à confiabilidade, a análise é mais complexa e exige uma avaliação dos riscos de cada situação específica. Como em qualquer operação de investimento, é essencial entender os riscos envolvidos e agir com cautela.

Vale a pena o Club do Empéstimo PicPay?

A resposta para essa pergunta é: depende. O PicPay promete taxa de juros a partir de 3% ao mês para os tomadores e o dinheiro pode ser pago em até 15 parcelas. No entanto, os investidores precisam estar cientes do risco de inadimplência – o PicPay apenas faz a intermediação e não assume responsabilidade pelo não pagamento do empréstimo. Mesmo nos casos em que o tomador tem um fator de risco baixo.

Portanto, se você está pensando em investir seu dinheiro ou tomar um empréstimo através do Clube do Empréstimo PicPay, é recomendável que consulte um conselheiro financeiro para entender melhor os riscos envolvidos.

O crescimento de opções financeiras digitais trazem novidades e possibilidades, porém é sempre importante lembrar que cada investimento vem com seu próprio conjunto de riscos. Fique atento e tome decisões informadas!

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies