Participação do Brasil na exportação global de milho deve crescer

As exportações brasileiras de milho devem aumentar 30,3% nos próximos dez anos, alcançando 77,5 milhões de toneladas em 2033/34. É o que projeta o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês).

A participação do Brasil nas exportações mundiais deve passar de 30,1% em 2024/25 para 32,8% em 2033/34. O USDA divulgou a estimativa na última quinta-feira, 22.

Segundo o departamento dos EUA, o crescimento das exportações brasileiras continua associado à expansão de novas áreas agrícolas no país. Isso se dará, sobretudo, na região Centro-Oeste.

Além disso, “os rendimentos têm melhorado constantemente para a produção de milho de segunda safra e o momento da colheita da segunda safra impulsiona as exportações”, afirmou, nesse sentido, a equipe do USDA. “Dando ao Brasil uma vantagem competitiva sobre os países do Hemisfério Norte.”

Exportações de milho pelos EUA

milho em grão
Milho em grão: Brasil deve ganhar mais força do mercado de exportação do cereal | Foto: Daniel Freire/Flickr

Os embarques dos EUA devem aumentar 21,9% no período. Indo, de acordo com o órgão norte-americano, para 63,5 milhões de toneladas em 2033/34.

Já a participação dos EUA nas exportações mundiais de milho deve crescer levemente. A projeção é de que esse percentual vá dos atuais 26,4% para 26,9%.

A Argentina deve ser o terceiro maior exportador de milho no período da projeção dos USDA. Os embarques do cereal pelos argentinos deverá, ao menos conforme o levantamento, crescer 14,4%. O volume chegará assim às 45,7 milhões de toneladas em 2033/34.


Revista Oeste, com informações da Agência Estado

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies