Nayib Bukele, que extinguiu a criminalidade no país, deve ser reeleito presidente

Mais de 5 milhões de eleitores em El Salvador, nação da América Central, vão escolher o presidente e mais 60 deputados na Assembleia deste domingo, 4.

O favorito é o atual presidente do país, Nayib Bukele, que concorre à reeleição. O país vive em estado de exceção desde 2022. Isso porque Bukele mandou prender mais de 70 mil pessoas sob suspeita de pertencerem a gangues.

Bukele reduziu a quase zero os índices de criminalidade e construiu o Centro de Confinamento do Terrorismo, uma megaprisão de segurança máxima.

A taxa de homicídios no país era de 107 mortes a cada 100 mil habitantes. Agora é de 2,3 homicídios por 100 mil pessoas. Apesar dos resultados positivos, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos desaprova o modelo de encarceramento de Bukele.

Bukele com 80% dos votos, mostra pesquisa

As pesquisas mostram que o atual presidente tem mais de 80% dos votos. Confira a projeção mais recente de intenções de votos, segundo a Universidad Centroamericana José Simeón Cañas:

  • Novas Ideias (Bukele): 81,9%;
  • Fmln(esquerda): 4,2%;
  • Arena: 3,4%;
  • Nosso Tempo: 2,5%;
  • Força Solidaria: 1,1%; e
  • Frente Patriótica Salvadorenha: 1%.

Para que os partidos concorram, é necessário ter pelo menos 50 mil votos válidos nas eleições legislativas. O partido de Bukele deve conseguir 57 das 60 cadeiras.

O atual chefe do Executivo de El Salvador está no poder desde 2019. No cargo, tem atacado os dois partidos mais tradicionais, a Fmln e o Arena, sob acusação de serem corruptos. Dois ex-presidentes da Arena foram processados por lavagem e desvio de dinheiro. Ambos se refugiaram na Nicarágua.

Quem é o atual presidente de El Salvador

Nayib Bukele, que pode ser reeleito neste domingo, é filho de um empresário palestino. Antes de se lançar na politica, trabalhou em uma agência publicitária da família.

Ele era responsável pelo marketing do partido que estava no poder, o Fmln. Ao se candidatar à Prefeitura de Nuevo Cuscatlan, venceu em 2015 e conseguiu melhorar os índices de homicídio da pequena cidade.

Ele se notabilizou por doar o salário para estudantes bolsistas. Também foi responsável pela revitalização do centro histórico e por construir uma biblioteca.

O Fmln acusou Bukele de ser um político divisivo e o expulsou da sigla, em 2017. O político salvadorrenho migrou para um outro partido, de direita. Ele se elegeu como presidente de El Salvador em 2019.

No solo destruimos el horrible monumento al matrimonio ARENA-FMLN…

También le dimos un buen uso al material ???? pic.twitter.com/DTiQcW9IzI

— Nayib Bukele (@nayibbukele) February 4, 2024

Logo que assumiu o poder, demitiu cerca de 400 funcionários públicos pelo Twitter/X, dizendo que eram empregados por nepotismo ou tinham ligações com a esquerda.

Bukele recebeu críticas internacionais. A revista The Economist, por exemplo, afirmou que ele queria se tornar o primeiro ditador millennial da América Latina. Contudo, os deputados aprovaram um megapacote contra o crime organizado, e o presidente conseguiu 90% de aprovação da população salvadorrenha.

Dentre as suas medidas, Bukele inseriu o bitcoin como uma moeda legal. Seus críticos dizem que, a longo prazo, suas políticas não são eficazes.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies