Mais de 30 mil soldados da Ucrânia já morreram desde o início da guerra contra a Rússia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse neste domingo, 25, que cerca de 31 mil soldados ucranianos morreram desde o início da guerra com a Rússia. Os conflitos começaram em fevereiro de 2022.

Segundo o presidente, o armamento fornecido por países ocidentais é escasso e as suas tropas estão “espetacularmente desarmadas”. Mesmo diante das instabilidades, ele nega a suposta fraqueza do Exército ucraniano e afirmou acreditar na vitória.

De acordo com informações do jornal britânico The Guardian, Zelensky estimou o número de russos mortos em 180 mil e disse que, incluindo os feridos, as baixas do Kremlin chegaram a 500 mil. Ele se recusou a informar quantos militares ucranianos ficaram feridos, dizendo que esses detalhes poderiam ajudar taticamente a Rússia.

A Ucrânia não divulgava o número de perdas militares desde o fim de 2022, quando o assessor presidencial Mykhailo Podolyak disse que 13 mil soldados haviam morrido desde a invasão de 24 de fevereiro. Já a Rússia não divulga as baixas militares por considerar essas informações como “secretas”.

Para o presidente ucraniano, não há perspectivas de negociações de um cessar-fogo com a Rússia. O país prevê uma grande ofensiva de Moscou em maio.

“O presidente russo, Vladimir Putin, não vai me ligar”, disse Zelensky, durante coletiva de imprensa. “Ele não quer acabar com a guerra.”

Guerra na Ucrânia completa dois anos

No último sábado, 24, a invasão da Ucrânia pela Rússia completou dois anos. A guerra começou em 24 de fevereiro de 2022, quando Moscou lançou ataques terrestres, aéreos e marítimos ao país vizinho. Estima-se que pelo menos 500 mil pessoas tenham perdido a vida nos conflitos.

Mais de 14 milhões de ucranianos, equivalente a um terço da população, foram deslocados de suas residências, enquanto 6,5 milhões buscaram refúgio em países vizinhos. Os dados são da Organização Internacional para as Migrações.

Na data em que o conflito completou seu segundo ano, vários líderes mundiais desembarcaram em Kiev para solenidades.

Entre os que visitaram a capital ucraniana estão o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau; o primeiro-ministro belga, Alexander De Croo; a primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni; e a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen.

Tendo a imagem do aeroporto como símbolo da data, Zelensky gravou uma mensagem no local falando diretamente ao povo. A gravação foi publicada no perfil do presidente no Twitter/X.

“Queridos grandes cidadão de uma grande país, estou imensamente orgulhoso de cada um de vocês”, disse Zelensky. “Admiro a todos. Acredito em cada um de vocês. Qualquer pessoa normal deseja que a guerra termine. Mas nenhum de nós permitirá que a Ucrânia termine.”

Zelensky encerrou com um agradecimento aos soldados, ao povo e “a todos ao redor do mundo”. “Estamos 730 dias mais perto da vitória”, disse.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies