Líder do Hamas ameaça: vai promover ataques terroristas até que Israel ‘seja aniquilado’

O líder e porta-voz do grupo terrorista Hamas, Ghazi Hamad, ameaçou promover outros ataques terroristas como o ocorrido em 7 de outubro, quando extremistas islâmicos invadiram o território israelense. Na ocasião, centenas de pessoas foram sequestradas e assassinadas.

O terrorista destacou que os atentados deverão ocorrer “até que Israel seja aniquilado”. A ameaça foi feita em entrevista concedida na semana passada ao canal de TV libanês LCB. Movimento liderado por ele, o Hamas não reconhece a existência de Israel como país independente.

Na entrevista, o líder do Hamas disse que todo ataque contra Israel é “justificado”. Para o canal da Líbano, ele reforçou: considera “ilógica” a existência do país judaico.

Pelo Twitter, a Middle East Media Research Institute (Memri) traduziu para o inglês a entrevista de Hamad à imprensa libanesa. O vídeo com a tradução foi divulgado pela Memri nesta quarta-feira, 1º. O líder do Hamas propagou uma versão vitimista por parte dos terroristas. “Somos vítimas.”

“A existência de Israel é o que causa toda a dor, sangue e lágrimas”, disse Hamad. “Somos vítimas de ocupação. Ponto final. Portanto, ninguém deveria nos culpar pelas coisas que fazemos. Em 7 de outubro, 10 de outubro… tudo o que fazemos está justificado.”

Hamad abandona entrevista

A entrevista ao canal do Líbano não é foi a primeira concedida por Hamad desde o início do conflito entre as forças militares israelenses e os terroristas islâmicos. Na sexta-feira 27, o porta-voz do Hamas se recusou a responder uma pergunta feita por um jornalista da britânica BBC News.

Ao ser questionado a respeito de como o grupo criminoso justificaria o ato de assassinar centenas de famílias enquanto elas dormiam, o terrorista se irritou e abandonou a conversa. “Quero parar com essa entrevista”, disse Hamad, enquanto tira o microfone da roupa.

Líderes do Hamas mudam de postura diante de ‘crimes contra a humanidade’

Um vídeo publicado pelas Forças de Defesa de Israel (FDI) mostrou as mudanças de postura dos líderes do Hamas em entrevistas à imprensa internacional quando questionados sobre “crimes contra a humanidade”. Os cortes foram publicados na manhã desta terça-feira, 31, no Twitter/X.

O material apresenta um compilado de declarações de três líderes do grupo terrorista. As falas ocorreram em diferentes entrevistas concedidas as canais europeus Sky News e BBC News. As perguntas resgatadas pelas FDI foram sobre os assassinatos cometidos pelos terroristas. As respostas mostram, contudo, um discurso diferente das ações realizadas pelos extremistas no início de outubro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies