Lewis Hamilton deve ganhar € 40 milhões com a Ferrari

O piloto inglês Lewis Hamilton assinou um contrato com a Ferrari, na quinta-feira 1º, em que deve receber um salário anual de € 40 milhões (R$ 213 milhões). O heptacampeão mundial está ao fim de cumprir o acordo com a Mercedes nesta temporada da Fórmula 1 e deve correr pela escuderia italiana a partir de 2025.

Em um comunicado oficial, o inglês de 39 anos disse que a decisão foi “difícil”. Porém, ele também afirmou que era o momento certo para um “novo desafio”.

“Serei eternamente grato pelo incrível apoio da minha família Mercedes, especialmente do Toto (Wolff) por sua amizade e liderança e quero terminar juntos em alta”, disse o piloto. “Estou 100% comprometido em entregar o melhor desempenho possível nesta temporada e fazer do meu último ano com os Silver Arrows (flechas prateadas) um ano inesquecível.”

Contrato de Hamilton de € 40 milhões ainda tem bônus de desempenho

Hamilton renovou o contrato com a Mercedes em 2023. O salário anual do piloto é de € 50 milhões (R$ 267 milhões), segundo a agência de notícias France-Presse (AFP). De acordo com o jornal italiano Corriere della Serra, o inglês receberá na Ferrari € 40 milhões de euros (R$ 213 milhões).

Apesar de ser um valor menor que o primeiro contrato, o salário de Hamilton ainda pode aumentar com bônus por desempenho. O novo contrato deve ter a duração de duas temporadas, com opção de renovação para um terceiro, dando a ele maior longevidade nas pistas.

Lista da revista Forbes anuncia maiores salários da Fórmula 1

Hamilton é o segundo piloto mais bem pago da Fórmula 1, conforme a lista divulgada pela revista Forbes em setembro de 2023.

Nela, Max Verstappen, tricampeão mundial pela Red Bull, está no topo do ranking. Com contrato até 2028, o holandês recebe um salário anual de US$ 55 milhões (o equivalente a R$ 268 milhões).

O número é cinco vezes maior do que de Sergio Pérez, seu companheiro de equipe e atual vice líder do mundial de pilotos, que embolsa US$ 10 milhões (R$ 48,8 milhões) da equipe austríaca.

O pódio dos salários mais altos da categoria é fechado pelo monegasco Charles Leclerc, da Ferrari. Ele ganha US$ 24 milhões (R$ 117,12 milhões) da escuderia italiana.

Confira os maiores salários da Fórmula 1

  • Max Verstappen (Red Bull): US$ 55 milhões;
  • Lewis Hamilton (Mercedes): US$ 35 milhões;
  • Charles Leclerc (Ferrari): US$ 24 milhões;
  • Lando Norris (McLaren): US$ 20 milhões;
  • Carlos Sainz (Ferrari): US$ 12 milhões;
  • Sergio Pérez (Red Bull): US$ 10 milhões;
  • Valtteri Bottas (Alfa Romeo): US$ 10 milhões;
  • George Russell (Mercedes): US$ 8 milhões;
  • Esteban Ocon (Alpino): US$ 6 milhões;
  • Fernando Alonso (Aston Martin): US$ 5 milhões;
  • Pierre Gasly (Alpine): US$ 5 milhões;
  • Kevin Magnussen (Haas): US$ 5 milhões;
  • Alex Albon (Williams): US$ 3 milhões;
  • Lance Stroll (Aston Martin): US$ 2 milhões;
  • Nico Hülkenberg (Haas): US$ 2 milhões;
  • Guanyu Zhou (Alfa Romeo): US$ 2 milhões;
  • Oscar Piastri (McLaren): US$ 2 milhões;
  • Yuki Tsunoda (AlphaTauri): US$ 1 milhão;
  • Daniel Ricciardo (AlphaTauri): US$ 1 milhão; e
  • Logan Sargeant (Williams): US$ 1 milhão.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading