Justiça prorroga inquérito que apura suposta compra de votos por ministro de Lula

A Justiça Eleitoral do Maranhão prorrogou por 90 dias um inquérito que investiga o ministro André Fufuca, responsável pela pasta de Esporte do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por suspeita de compra de votos nas eleições 2018. A prorrogação foi solicitada pela Polícia Federal do Maranhão, que investiga o possível crime eleitoral.

Fufuca está sendo investigado desde outubro de 2018, quando policiais federais flagraram um grupo de correligionários com um saco de dinheiro e santinhos de Fufuca na cidade de Santa Luzia, no interior do Maranhão. O dinheiro estaria sendo usado na compra de votos para Fufuca, que foi reeleito para a Câmara Federal naquele ano, assim como em 2022.

Em despacho publicado na segunda-feira 4, o juiz Bruno Barbosa Pinheiro disse que a ampliação do prazo de investigação é necessária para realização de novas diligências. “Encerrá-las, nessa fase procedimental, poderia prejudicar a descoberta da verdade e a coleta de provas”, escreveu o magistrado.

De acordo com o relatório da investigação, no dia dos fatos, os policiais federais, depois de receberem uma denúncia anônima, foram até uma residência em Santa Luzia. Lá, encontraram veículos com adesivos de Fufuca e movimentação de pessoas.

Um homem que estava no local, ao perceber a presença dos agentes federais, tentou esconder um saco de dinheiro em um bueiro, mas sem sucesso. No saco, os policiais encontraram R$ 5.850 em notas de R$ 20, R$ 50 e R$ 100. Em um dos automóveis adesivados, havia uma caixa de papelão com santinhos de Fufuca.

Polícia Federal quer ouvir mais testemunhas no inquérito contra o ministro de Lula

André Fufuca ministro inquérito
André Fufuca assumiu o cargo no governo Lula em setembro | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Desde o flagrante, a investigação sobre a campanha de André Fufuca segue sob responsabilidade da superintendência da Polícia Federal do Maranhão. A corporação justificou o pedido de prorrogação afirmando que quer ouvir mais oito pessoas que mantiveram contato com os suspeitos de comprar votos na véspera da eleição.

Ao jornal O Globo, o ministro André Fufuca disse que “não compactua com qualquer ato ilícito, não é responsável por ação de terceiros e confia que a Justiça vai esclarecer todos os fatos”.

Fufuca assumiu o Ministério do Esporte em setembro, depois que Lula demitiu a então ministra Ana Moser e decidiu acomodar o centrão em seu governo. 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading