Israel atinge 450 alvos do Hamas no quarto dia de incursão terrestre em Gaza

A Forças de Defesa de Israel (FDI) anunciaram neste domingo, 29, que caças israelenses atacaram mais de 450 alvos do grupo terrorista Hamas nas últimas 24 horas. Os alvos foram quartéis-generais, postos de observação e locais onde foguetes eram lançados contra Israel.

Este é o quarto dia seguido de incursões terrestres no enclave palestino. Durante o combate com os terroristas do Hamas, um soldado e um oficial de Israel ficaram feridos e voltaram para o território israelense.

Um vídeo postado na madrugada do domingo mostra tropas israelenses ocupando um hotel dentro da Faixa de Gaza. Os soldados seguram uma bandeira israelense que foi presa a um mastro no topo do prédio.

O homem que filma diz que estão “agitando” a bandeira israelense “no coração de Gaza” três semanas depois do “crime horrível”. O vídeo foi postado pelo jornal israelense Israel Hayom.

Internet é restaurada parcialmente em Gaza

Isik Mater, diretor de pesquisa do grupo de monitoramento de segurança cibernética NetBloks, disse que observaram a “restauração parcial da conectividade com a internet” na Faixa de Gaza. O território sofreu um blecaute quase total na internet no sábado, 28, em meio a incursões terrestres.

“Nossa telemetria indica que a conectividade está retornando a níveis semelhantes aos rastreados na sexta-feira, e não aos níveis completos pré-conflito, então o serviço ainda será apenas parcial”, disse Mater por e-mail.

Israel entrou na segunda fase da guerra

Conforme Oeste noticiou, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que o país entrou na “segunda fase da guerra” contra os terroristas do Hamas.

“Temos um objetivo principal, vencer o inimigo e garantir a nossa existência”, disse Netanyahu.

O premiê israelense afirmou que conversou com as famílias dos mais de 200 reféns que estão sob o domínio dos terroristas e prometeu que “absolutamente tudo” será feito para que eles retornem para seus entes.

No pronunciamento, Netanyahu reiterou que a guerra em Gaza será “longa e difícil” e traçou um paralelo entre o conflito atual e a guerra árabe-israelense entre 1947 e 1949, quando Israel declarou sua independência.

“Esta é a nossa segunda guerra de independência”, disse. “Vamos salvar o nosso país.”

O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, informou que o país intensificou os ataques contra o Hamas nos últimos dias, e que isso deve aumentar as chances dos terroristas devolvam os reféns que mantêm em Gaza.

“À medida que atacamos o inimigo com mais força, há uma maior probabilidade de que o inimigo concorde com soluções para devolver os entes queridos”, disse Gallant. “As Forças de Israel estão se movimentando e destruindo a infraestrutura do Hamas por ar, por terra e por água.”

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies