Israel afirma que explosão em hospital foi causado por projétil lançado de Gaza

As Frentes de Defesa de Israel (FDI) anunciaram nesta sexta-feira, 10, que um projeto lançado de dentro de Gaza, que teria falhado, foi responsável pelo bombardeio ao hospital al-Shifa, o maior da região.

Os militares negaram relatos de que a explosão tenha sido causada por um ataque aéreo israelense.

“Uma análise dos sistemas operacionais das FDI indica que um projétil com falha lançado por organizações terroristas dentro da Faixa de Gaza atingiu o Hospital al-Shifa”, disse o porta-voz das FDI, tenente-coronel Richard Hecht, em comunicado.

Ele também declarou que o projétil tinha como alvo “tropas das FDI que operavam nas proximidades”.

Hecht também denunciou a campanha de desinformação do Hamas que atribuiu o episódio à um suposto ataque das autoridades israelenses.

“Hoje cedo, as FDI receberam relatos de um ataque ao Hospital al-Shifa, na cidade de Gaza. O escritório de mídia administrado pelo Hamas alegou imediatamente que este foi um ataque realizado pelas FDI”, afirmou o porta-voz.

Caso semelhante à explosão de outro hospital

Alguns veículos na imprensa internacional reproduziram a desinformação a serviço dos terroristas.

Vários vídeos nas redes sociais foram publicados nesta sexta-feira, 10, mostrando pessoas feridas caídas no chão do ambulatório depois do bombardeio.

O episódio desta sexta-feira, 10, é parecido ao do hospital Batista Al-Ahli, de 17 de outubro, quando até mesmo grandes veículos de comunicação informaram que o local havia sido bombardeado por Israel. Na verdade, foi comprovado que a explosão foi causada por um míssil lançado pelo grupo terrorista Jihad Islâmica.

Evacuação

A diretoria do hospital começou a evacuar o centro médico, seguindo ordens das FDI, que cercou o complexo.

De acordo com reportagem do jornal norte-americano The Wall Street Journal, os miliares israelenses acreditam que o Hamas construiu um centro de comando na região.

Segundo o Ministério da Saúde, controlado pelo grupo terrorista, entre 50 mil e 60 mil pessoas estavam abrigadas dentro do hospital e nos arredores.

O governo de Israel informou que mais de 100 mil palestinos fugiram para o sul da Faixa de Gaza nos últimos dois dias. Muitos ainda permanecem no norte do enclave, onde ocorrem os combates, por não conseguirem sair.

Ofensiva de Israel

As FDI também divulgaram nesta quinta-feira, 9, que atacaram um posto avançado e um campo de treinamento do Hamas no norte da Faixa de Gaza, matando cerca de 30 terroristas. Dezenas de armas foram apreendidas.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies