Investidores da Americanas (AMER3): o que acontecerá com seus títulos?

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O sorte dos titulares de débitos da Americanas está agora pênsil de uma decisão crucial. De harmonia com informes recentes, investidores e gestores que possuem esses títulos na carteira logo deverão tomar uma posição. As opções incluem: trocar os títulos de renda fixa por ações da empresa; concordar o chamado “leilão revirado”, sendo remunerados à vista pela organização; ou transmudar a debênture existente em uma novidade, com novas premissas. Ressalta-se que em nenhum desses cenários há uma recuperação completa do Valor investido inicial.

As opções envolvem um intensidade variegado de desconto ou-me-direi perdão de dívida que os credores terão que concordar para receber ao menos segmento do verba emprestado. No entanto, há uma incerteza no ar, visto que o projeto de recuperação ainda deve ser legalizado pela maioria de dois terços dos credores. Fontes indicam que a votação deve ocorrer até o final de 2023.

O quão grave será o impacto para os investidores?

Mesmo diante às escolhas apresentadas, muitos gestores e especialistas acreditam que os credores aceitarão as condições, o que acarretará na liquidação dos títulos existentes entre março e abril de 2024. A própria Americanas estimou que os descontos ocasionados pela liquidação das debêntures variariam de 70% a 80%. Isso sugere que os credores e investidores poderão suportar significativas perdas. No entanto, alguns especialistas argumentam que essa ainda é uma opção melhor do que a perda totalidade do verba investido nos títulos.

Foram originalmente propostas três soluções principais para os investidores dessas debêntures. A primeira é a troca desses papéis por novos ativos de dívida da Americanas. No entanto, porquê os balanços de 2023 ainda estão sendo apurados, há dúvidas consideráveis sobre as condições que a empresa será capaz de oferecer aos investidores nesses títulos. A segunda solução sugerida é o chamado “leilão revirado”. Nesta, a Americanas ofereceria um Valor à vista pelos títulos, provavelmente com um desconto significativo. A última opção oferece a possibilidade de conversão das debêntures em ações da empresa – opção inviável para fundos de renda fixa dada a restrição na alocação em ativos de renda variável.

O que os especialistas dizem sobre os próximos passos?

Diante desta situação, a XP Investimentos destacou em um relatório intitulado “Reescrevendo o pretérito” que, embora um passo importante tenha sido oferecido pela empresa, muita incerteza ainda permanece. Adriano Casarotto, comentador da Western Asset Management, salientou que a escolha “ideal” depende do perfil do investidor. Em resumo, embora a situação pareça aterradoramente incerto para os investidores, a prelecção da valor da diversificação das carteiras foi fortemente aprendida.

Para os investidores pessoas físicas com debêntures da Americanas em carteira, cabe a eles a decisão do que fazer com os títulos. Por outro lado, para os cotistas de fundo que possuem esses papéis, a decisão fica nas mãos do gestor do resultado.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies
%d blogueiros gostam disto: