Governo reduz previsão de safra no Rio Grande do Sul

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) publicou novas estimativas para a safra de grãos do Rio Grande do Sul nesta terça-feira, 14. O documento reduz em cerca de 800 mil toneladas a expectativa para a colheita do Estado, em comparação às projeções divulgadas em 11 abril — ou seja, são as primeiras previsões depois das chuvas que alagaram a maior parte das lavouras gaúchas.

De acordo com o relatório da Conab, as principais perdas são nas plantações de soja e de arroz.

O Rio Grande do Sul concentra a maior parte dos arrozais do Brasil. Por volta de 70% da colheita nacional ocorre no Estado.

Safras de arroz e de soja do Rio Grande do Sul

A nova estimativa reduz em cerca de 200 mil toneladas a produção gaúcha de arroz para 2024, em comparação com a previsão anterior para o mesmo ano. Ainda assim, a safra do Estado deve ser maior que a de 2023.

Segundo a companhia, os agricultores gaúchos devem produzir 7,2 milhões de toneladas de arroz em 2024 anos. A safra anterior fechou em 6,9 milhões de toneladas.

O órgão estima que 83% da produção foi colhida antes das chuvas. Assim, 17% ainda está no campo.

No caso da soja, a Conab prevê a perda de quase 500 mil toneladas, em comparação a previsão anterior.

Assim como a do arroz, apesar da redução, a colheita promete ser maior que a do ano anterior. No caso da soja é esperado um crescimento próximo de 65%, com a safra do grão no Rio Grande Sul chegando a quase 21,5 milhões de toneladas, mesmo com os temporais.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies