Governo Lula gastou R$ 6 mil com viagem da ‘Dama do Tráfico’

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva gastou quase R$ 6 milénio para financiar a viagem e as diárias de Luciane Barbosa Farias, a “Mulher do Tráfico”, ao evento de combate à tortura organizado pelo Ministério dos Direitos Humanos, que ocorreu entre 6 e 7 de novembro, em Brasília. Publicada pelo jornal Folha de S.Paulo,

Ao todo, R$ 4,8 milénio foram gastos com passagens de ida e volta entre Manaus e Brasília. Outros R$ 1 milénio garantiram diárias.

A Secretaria Vernáculo de Promoção e Resguardo dos Direitos Humanos, vinculada à pasta comandada pelo ministro Silvio Almeida, desembolsou os valores. Esses dados constam no Pintura de Viagens, do Ministério da Economia.

O Ministério dos Direitos Humanos informou, em nota, que todos os participantes do evento tiveram as despesas pagas. A indicação dos nomes seria uma atribuição dos comitês estaduais, também vinculados à pasta.

Auxiliares de Dino são denunciados por visitante da Mulher do Tráfico

Os deputados federais do Partido Novo denunciaram dois auxiliares do ministro Flávio Dino à Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Eles esconderam reuniões que os funcionários do Ministério da Justiça e Segurança Pública tiveram com a Mulher do Tráfico.

Os denunciados foram Rafael Velasco Brandani, secretário pátrio de Políticas Penais e Elias Vaz, secretário pátrio de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A denúncia cita que Brandani recebeu a advogada Janira Rocha, ex-deputada estadual do Psol no Rio de Janeiro, em 4 de maio deste ano. E que Brandani não citou que a mulher do tráfico estava presente. Elias Vaz se reuniu com a mulher do tráfico em seu gabinete em 19 de março.

A “vítima”

Recentemente, Luciane compartilhou um teor em que afirma ser vítima de perseguição, por ser uma “ativista dos direitos humanos”.

Ela tem 37 anos e é mulher do director do Comando Vermelho no Amazonas, Clemilson Barbosa Farias, sabido porquê “Tio Patinhas”. Ele foi réprobo a 31 anos por tráfico de drogas e lavagem de moeda. A Mulher do Tráfico foi condenada a dez anos de prisão por seu envolvimento na ocultação de moeda do tráfico de drogas.

A Mulher do Tráfico se apresenta nas redes sociais porquê presidente da Associação Liberdade do Amazonas, uma organização não governamental (ONG). E porquê “esposa”, “mãe”, “ativista dos direitos humanos” e “acadêmica de Recta”.

Mentor do CNJ que recebeu Luciane admitiu encontro

O ministro Luiz Fruto, do Juízo Vernáculo de Justiça (CNJ), recebeu Luciane em seu gabinete, no CNJ, onde recebeu dela uma leva de documentos. A Oeste, Fruto disse estar escoltado de assessores, durante o encontro.

Em linhas gerais, os papeis entregues a Fruto dizem saudação a propostas que ela levou para a melhora de condições de vida de presos nas cadeias.

Manancial: Revista Oeste

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies