Governo americano cogita retirar o visto de Alexandre de Moraes

María Elvira Salazar, representante da Flórida na Câmara dos Representantes dos EUA, é uma figura política destacada com uma longa história como jornalista. Filha de imigrantes cubanos, ela possui um profundo conhecimento dos desafios enfrentados pelas comunidades hispânicas.

Membro do Partido Republicano, ela preside o Subcomitê de Relações Exteriores da Câmara para o Hemisfério Ocidental. Antes de ingressar na política, Salazar teve uma carreira jornalística notável, trabalhando em grandes redes como CNN em Espanhol, Telemundo e Univisión, cobrindo eventos globais importantes, como a guerra civil em El Salvador, e conduzindo entrevistas com figuras como Fidel Castro, Augusto Pinochet, Bill Clinton, George Bush, Madre Teresa de Calcutá, além dos presidentes colombianos Álvaro Uribe e Juan Manuel Santos. Seu trabalho jornalístico lhe rendeu cinco prêmios Emmy.

Na esfera política, Salazar se dedica a questões cruciais para os latinos, advogando por políticas que promovam a prosperidade econômica e os valores cristãos tradicionais. Eleita para o Congresso em 2020 para representar o 27.º Distrito da Flórida, que abrange partes de Miami, ela está ativa nos Comitês de Relações Exteriores e de Pequenas Empresas. Essas posições a capacitam a influenciar a política externa dos EUA e a apoiar empreendedores locais. Salazar é reconhecida por sua postura firme contra os regimes socialistas autoritários em Cuba, Venezuela e Nicarágua, usando sua posição para advogar pelo respeito aos direitos humanos e pela promoção da democracia.

Seu compromisso com esses princípios reflete a continuidade do ativismo que caracterizou sua carreira jornalística, destacando-se por sua habilidade em comunicar temas complexos de maneira clara e eficaz. Sua trajetória é marcada pela defesa da liberdade e do sonho americano, princípios que busca fortalecer em sua atuação legislativa.

Recentemente, Salazar participou de uma audiência na Câmara dos Representantes dos EUA sobre a liberdade de expressão no Brasil, criticando veementemente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante a sessão, ela caracterizou Moraes como um “operador totalitário” e referiu-se a Lula como um “condenado por corrupção”.

Ela ressaltou a importância de o Brasil ter líderes que respeitem as liberdades fundamentais e apoiem o desenvolvimento democrático, expressando sua preocupação com a situação da liberdade de expressão no país. Essas declarações tiveram um grande impacto no Brasil. Além disso, o subcomitê de Direitos Humanos Globais da Câmara solicitou à Comissão Interamericana de Direitos Humanos informações sobre denúncias de violações dos direitos humanos no Brasil. Salazar concedeu uma entrevista exclusiva à Gazeta do Povo.

!function(f,b,e,v,n,t,s)
if(f.fbq)return;n=f.fbq=function()n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments);
if(!f._fbq)f._fbq=n;n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;
n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];
s.parentNode.insertBefore(t,s)(window, document,’script’,
‘https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
fbq(‘init’, ‘5194898813962404’);
fbq(‘track’, ‘PageView’);

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies