Google, Meta e Amazon querem ganhar a corrida da inteligência artificial

Em setembro, a varejista Amazon anunciou que investiria US$ 4 bilhões na Anthropic, uma startup fundada pelo brasileiro Daniel de Freitas que trabalha com inteligência artificial (IA).

O investimento se dá em razão da varejista estar buscando uma colaboradora de IA para desbancar a fabricante de chips Nvidia, uma das principais empresas do setor atualmente.

A Anthropic ganhou essa posição, em razão de ter concordado em desenvolver sua IA usando chips de computador especializados projetados pela varejista.

Desde 2023, a explosão do uso de IA generativa vem expondo o quanto as gigantes de tecnologia se tornaram dependentes da Nvidia.

Essa dependência se dá em razão dessas gigantes não conseguirem criar chatbots e outros sistemas de IA sem um tipo especial de chip que a Nvidia dominou.

Por causa disso, essas empresas gastaram bilhões de dólares com os sistemas da Nvidia, mas a fabricante de chips não conseguiu acompanhar a demanda.

Para contornar a situação, a Amazon e outras gigantes, como Google, Meta e Microsoft, estão criando seus próprios chips de IA para controlar custos, eliminar a escassez do mercado e até vendê-los.

Somente no ano passado, a Nvidia vendeu 2,5 milhões de chips, enquanto o Google gastou entre US$ 2 bilhões a US$ 3 bilhões na construção de quase um milhão de seus próprios chips de IA, diz Pierre Ferragu, analista da New Street Research.

A Amazon teria gasto US$ 200 milhões em 100 mil chips em 2023, conforme Ferragu.

Atualmente, a Nvidia é responsável por mais de 70% das vendas de chips de IA, conforme a empresa de pesquisa Omdia.

Além disso, as vendas da empresa aumentaram 206% em 2023. A empresa adicionou cerca de US$ 1 trilhão em seu valor de mercado.

As empresas disputam constantemente para estar na frente da fila dos pedidos da dominadora do mercado, dizendo que continuam comprometidas com suas parcerias com a empresa.

Em 2023, a Nvidia iniciou seu próprio serviço de nuvem, e visa canalizar seus chips para uma nova onda de provedores de nuvem, como a CoreWeave, que concorre com as três gigantes que buscam o mercado de chips.

“As tensões aqui são mil vezes maiores do que a disputa usual entre clientes e fornecedores”, afirmou Charles Fitzgerald, consultor de tecnologia e investidor. Conforme a pesquisa Gartner, o mercado de chips de IA deve mais do que dobrar até 2027, chegando a cerca de US$ 140 bilhões.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading