Globo entra em guerra contra Collor e diz que TV do político comete assédio moral

A Globo está disposta a tomar todas as medidas para encerrar o vínculo com sua afiliada em Alagoas, a TV Gazeta, que é do ex-presidente Fernando Collor. Mesmo depois de um parecer na Justiça para manter a emissora em sua lista de afiliadas, a líder de audiência fez acusações de assédio moral e superfaturamento dos salários de executivos da empresa, que atualmente passa por um processo de recuperação judicial.

De acordo com o portal F5, da Folha de S.Paulo, o canal carioca apontou três argumentos na Justiça para exigir a desvinculação da afiliada: o assédio moral, o superfaturamento de salários e a sobrecarga em cima de funcionários.

Na acusação, a Globo alega que a afiliada descumpriu várias das políticas de compliance, o que seria o suficiente para o fim do contrato. A emissora identificou o pagamento de R$ 67 mil de salário a um executivo, o que seria além do aceitável para uma empresa que passa por dificuldades financeiras e que se localiza no segundo menor estado do Brasil.

Além disso, há ao menos três condenações por assédio moral movidas por ex-funcionários contra a TV Gazeta. A Globo relembrou o caso de um funcionário de 24 anos que morreu ao dormir no volante depois de enfrentar um plantão de 24 horas na emissora, em 2008.

Foto do logotipo da TV Gazeta de Alagoas, afiliada da Globo
Globo quer desfazer parceria com a TV Gazeta de Alagoas | Foto: Divulgação

Globo relembra propina de Collor para tentar rescindir contrato

A líder de audiência alega que nem a tragédia foi o suficiente para fazer a empresa de Collor mudar. Outro caso que justificaria o fim do contrato seria a acusação que o ex-presidente recebeu ao usar a emissora para receber propina. O Supremo Tribunal Federal condenou o empresário pelo crime em 2023.

O maior problema atualmente é que, em novembro de 2023, a TV Gazeta entrou com uma liminar na Justiça exigindo que a Globo não encerrasse o contrato. O canal alegou que, em meio a uma recuperação judicial, seria impossível se manter sem o apoio do conglomerado de mídia, tendo que encerrar 209 dos 279 postos de trabalho.

O Ministério Público obrigou a Globo a manter a TV Gazeta como afiliada até 2028, contudo, a liminar foi derrubada em janeiro. Agora, porém, a emissora aguarda uma resposta do Justiça de Alagoas para definir os próximos passos do imbróglio.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies