Garanta sua Tranquilidade Financeira: Guia para Criar e Gerir sua Reserva de Emergência Eficientemente

Você já ouviu falar sobre a relevância da suplente de emergência? Sim, aquele numerário poupado para situações inesperadas que podem ocorrer ao longo da vida. Hoje, vamos conversar sobre porquê gerar e manter essa suplente, principalmente considerando a chegada do 13º salário. Vamos lá?

Se você ainda não tem uma suplente de emergência, não se preocupe. Nunca é tarde para debutar. Inteligente mesmo é reconhecer a relevância desta lanço na sua saúde financeira. Se você já tem, ótimo, é hora de partir para revisão.

Uma vez que debutar a gerar sua suplente de emergência?

Iniciar uma suplente de emergência envolve primeiramente a definição de um Valor adequado para esse fundo. Leste Valor deve ser capaz de tapulhar suas despesas essenciais por um período de seis meses a um ano. A modalidade de investimento também deve ser escolhida cuidadosamente para proteger o Valor dessa suplente da desvalorização.

Quanto investir na suplente de emergência?

Para definir o Valor da suplente é crucial que você tenha controle sobre suas finanças. Você sabe quais são seus gastos fixos e essenciais mensais? Vamos supor que você gaste R$ 5 milénio por mês. Logo, o Valor mínimo da sua suplente de emergência precisa ser de R$ 30 milénio para prometer sua sobrevivência por 6 meses sem renda.

Qual é a melhor forma de investir a suplente de emergência?

A suplente de emergência deve ser aplicada em produtos que possuem subida liquidez, ou seja, que possuam disponibilidade imediata para resgate. Entre esses produtos, destacam-se Tesouro Direto, CDB’s e até a tradicional poupança. Mas atenção: priorize os que oferecem rendimentos de 100% ou mais do CDI.

Por que revisar incessantemente a suplente de emergência?

A suplente de emergência não deve ser um Valor estático na sua vida. Ela deve ser revisada incessantemente. Seja por alguma emergência que precise resgatá-la parcialmente ou totalidade, seja porque seus gastos fixos aumentaram. A teoria é que essa suplente esteja sempre adequada às suas necessidades e possibilidades financeiras.

Em resumo, a suplente de emergência é um elemento fundamental no planejamento financeiro. Ela proporciona uma segurança financeira importante para momentos de imprevistos e deve ser a primeira meta quando você decide debutar a investir. Uma vez que disse o perito Gustavo Cerbasi: “Planejamento financeiro traz uma série de benefícios porquê independência e previsibilidade. Mas a principal consequência é a tranquilidade”.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading