conecte-se

Economia em Pauta

Fundos imobiliários fazem ‘troca’ de ativos entre si. Confira o preferido da semana

Published

on

ACOMPANHE AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO MERCADO

Advertisement

No panorama recente do mercado financeiro, o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) tem demonstrado variações consideráveis, refletindo a dinâmica do setor. Após um fechamento de pregão em alta na última sexta-feira, o índice experimentou uma ligeira queda nesta segunda-feira, destacando a oscilação constante deste mercado.

Imagem: Internet.

Na tarde desta segunda-feira, especificamente às 16h20, o IFIX apresentava uma redução de 0,26%, marcando 3.373,60 pontos. Este decréscimo segue um ganho modesto no mês de maio, onde o IFIX teve uma valorização acumulada de apenas 0,02%, indicando um período de estabilidade relativa, embora sujeito a flutuações inesperadas.

Advertisement

Por que o IFIX é tão volátil?

O IFIX, composto por diversos fundos imobiliários negociados na B3, representa uma forma de medir o desempenho geral deste tipo de investimento. A volatilidade deste índice pode ser atribuída à variedade de fatores que influenciam os fundos individualmente, como mudanças na legislação, variações nas taxas de juro, e até mesmo oscilações mais amplas no mercado financeiro.

Perfis de Fundos em Alta e Baixa neste Início de Semana

Entre os destaques positivos que impulsionaram o índice na última sessão de negociações, o fundo CSHG Prime Offices (HGPO11) se sobressaiu, com um avanço de 2,21%, cotado a R$ 313,06. Outros como Vbi Prime Properties (PVBI11) e RBR Rendimento High Grade (RBRR11) também registraram altas, demonstrando um bom desempenho no cenário atual.

Por outro lado, o mercado também viu fundos que não tiveram uma performance tão favorável. O Tordesilhas EI Fundo de Investimento Imobiliário (TORD11) recuou 4,85%, sendo negociado a R$ 1,57, acompanhado por quedas similarmente significativas nos fundos Hectare CE (HCTR11) e RBR Properties (RBRP11).

Advertisement

Operações Estratégicas Entre Fundos Imobiliários

  • Na sexta-feira anterior, houve a notificação de uma negociação significativa onde o fundo XP Log FII (XPLQ11) acordou vender 49% do Syslog Galeão (RJ) para o CSHG Logística FII (HGLG11) por cerca de R$ 88 milhões, resultando em um lucro de capital de R$ 17 milhões para o XPLG11.
  • Este movimento foi parte de uma estratégia recíproca, onde o HGLG11 também fez um acordo para transferir 49% do HGLG Washington Luiz (RJ) para o fundo XPLG11 por aproximadamente R$ 80 milhões, culminando em um ganho de capital de R$ 21 milhões para o HGLG11.

Essas manobras estratégicas entre fundos são exemplos de como os gestores buscam melhorar suas posições e resultados através de aquisições focadas e vendas pontuais, mostrando a dinâmica interessante e complexa do setor de fundos imobiliários. Com essas ações, os fundos não só buscam melhorar seus rendimentos como também adaptar seus portfolios às mudanças das condições de mercado.

Advertisement
Continue Reading
Advertisement
Advertisement