Forças Armadas fizeram um papelão no TSE, diz Barroso

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou nesta segunda-feira (4) em São Paulo que as forças militares foram politizadas por uma má liderança e fizeram “um papelão”.

A declaração foi dada durante evento promovido pela Faculdade de Direito da PUC-SP e pelo Centro Acadêmico 22 de Agosto, no teatro Tuca, na zona oeste de São Paulo. O evento tinha como mote a democracia inclusiva.

Barroso fez diversas críticas à gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), sem citá-la diretamente, como a não demarcação de terras indígenas, a paralisação do Fundo Amazônia e o negacionismo durante a pandemia. “Nada do que estou falando é uma opinião, tudo que estou falando são fatos objetivos”.

Ele definiu a politização das Forças Armadas como “uma das coisas mais dramáticas para a democracia”.

“Foram manipulados e arremessados na política, por más lideranças, fizeram um papelão no TSE. Convidados para ajudar na segurança e para dar transparência, foram induzidos por uma má liderança a ficarem levantando suspeitas falsas”, disse, o que definiu como deslealdade.

Barroso, em tópico da palestra sobre ameaças à democracia, citou o risco de golpe no Brasil.

“As investigações vão revelando que tivemos mais próximo do que pensávamos do impensável. Nós achávamos que já havíamos percorrido todos os ciclos do atraso institucional para termos que nos preocuparmos com ameaça de golpe de estado”, disse

Entre os pontos citados por ele, estão uso da inteligência para perseguir adversários, incentivo a acampamentos golpistas, desfile de tanques na Praça dos Três Poderes e ataques à imprensa.

“[Isso acabou] culminando no 8 de janeiro [de 2023], que não foi um processo espontâneo, foi uma articulação”, disse. O ministro afirmou, porém, que as instituições venceram.

Folha de SP

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies