conecte-se

Agro em Pauta

Força-tarefa apreende mais de 11 mil litros de defensivos agrícolas irregulares

Os defensivos agrícolas apreendidos, que estavam impróprios para o uso, foram avaliados em mais de R$ 1 milhão.

Published

on

Uma força-tarefa encabeçada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) apreendeu mais de 11 mil litros de defensivos agrícolas irregulares entre 23 e 27 de outubro no Tocantins.

Os defensivos agrícolas apreendidos, que estavam impróprios para o uso, foram avaliados em mais de R$ 1 milhão.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec) participaram da operação. Ela teve como alvo a fabricação, comercialização e utilização de produtos ilegais e impróprios para o uso na agricultura.

Advertisement

Força-tarefa dá mais de R$ 1 milhão em multas por defensivos agrícolas irregulares

força-tarefa defensivos agrícolas 2

Houve 13 ações fiscalizatórias em propriedades rurais e estabelecimentos agropecuários, que resultaram em mais de R$ 1 milhão em multas. O Mapa disse que o material estava impróprio para comercialização, incluindo produtos vencidos ou proibidos para fins agrícolas.

Os produtos proibidos (domissanitários) foram registrados somente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso restrito de empresas de desinfestação de instalações urbanas, sem autorização de comercialização livre. A informação foi confirmada por Júlio César, chefe da divisão de fiscalização de agrotóxicos do Mapa.

Gilberto Milhomem, chefe do Ibama na Operação Ceres, disse que as fábricas de domissanitários estão fazendo o desvio da finalidade do produto registrado na Anvisa, “comercializando para o mercado agrícola, o que é uma infração à lei de crimes ambientais”.

A Adapec fez a fiscalização do uso dos agroquímicos nas propriedades rurais e fez a autuação dos produtores que utilizaram as substâncias em suas lavouras. Segundo a Adapec, a fiscalização será intensificada no Tocantins.

Advertisement
Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Advertisement