Em nova pesquisa, TRUMP aumenta vantagem sobre Biden

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mantém uma liderança estreita sobre o atual presidente, Joe Biden, em dois dos seis Estados considerados decisivos para as eleições de novembro, os chamados “swing states”. Em outros três Estados, Trump está numericamente à frente, mas dentro da margem de erro.

A pesquisa, encomendada pelos jornais New York Times e Philadelphia Inquirer e conduzida pelo Siena College, aponta uma disputa acirrada. Trump lidera em Nevada e Geórgia, enquanto Biden tem uma vantagem estreita em Wisconsin, embora também dentro da margem de erro.

Aqui estão os resultados por Estado entre eleitores registrados:

  • Arizona: Trump 49% X 42% Biden;
  • Geórgia: Trump 49% X 39% Biden;
  • Nevada: Trump 50% X 38% Biden;
  • Pensilvânia: Trump 47% X 44% Biden;
  • Michigan: Biden 49% X 42% Trump;
  • Wisconsin: Trump 47% X 45% Biden.

A pesquisa também revelou um aumento no apoio a Trump entre os eleitores jovens e não brancos em comparação com 2020. No entanto, os eleitores hispânicos estão divididos entre os dois candidatos.

Esses resultados são consistentes com pesquisas anteriores, sugerindo que eventos recentes, como o julgamento criminal de Trump em Nova York por supostamente encobrir um pagamento à atriz pornô Stormy Daniels, podem não ter alterado significativamente as intenções de voto.

Apesar da vantagem de Trump na corrida presidencial, os candidatos democratas ao Senado estão à frente de seus oponentes republicanos nos mesmos Estados.

Metodologia:

Foram entrevistados 4.097 eleitores registrados entre 28 de abril e 9 de maio de 2024, por telefone, em inglês e espanhol, sendo quase 95% das entrevistas realizadas por celular.

Os eleitores foram selecionados a partir de uma lista de eleitores registrados, garantindo uma representação equilibrada de partidos, raças e regiões. Foram feitas cerca de 500.000 chamadas para alcançar 410.000 eleitores.

Para refletir melhor a população eleitoral, mais peso foi dado aos entrevistados de grupos demográficos sub-representados, como pessoas sem diploma universitário.

A margem de erro entre os eleitores registrados é de aproximadamente 1,8 ponto percentual quando os Estados são agrupados. Cada pesquisa estadual tem uma margem de erro específica, variando de cerca de 3,6 pontos na Pensilvânia a cerca de 4,6 pontos na Geórgia.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies