‘Crianças estavam sem se alimentar’ na Faixa de Gaza

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

As 17 crianças brasileiras, que estavam na Filete de Gaza, e foram repatriadas na noite da segunda-feira 13 com outros brasileiros adultos, estavam sem se fomentar e sem tomar chuva. A informação é da tenente Thais Promanação Costa, médica da Força Aérea Brasileira (FAB).

“As crianças estão estáveis, mas estavam sem se fomentar e sem tomar chuva”, declarou Thais à prelo. “Uma teve amidalite há duas semanas e a irmãzinha dela contraiu uma virose, vomitou, se sentiu mal, mas, mesmo assim, fizeram um voo bom. Pedi um atendimento especializado, pois elas precisam de mais atenção para elas saírem sem nenhum problema.”

Ao todo, 32 pessoas, entre brasileiros e familiares, foram repatriados nesta noite de Gaza ao Brasil. Desse número, ao menos três crianças e uma gestante passam por atendimento médico. Todos desembarcaram em Brasília. Conforme a médica da FAB, os nacionais não tinham aproximação à chuva potável e estavam se hidratando com chuva fervida.

Apesar das dificuldades, de combinação com a tenente, a saúde do grupo está “muito”. O voo que trouxe os 32 repatriados contou com a ajuda de uma equipe de saúde, composta por uma psicóloga, um enfermeiro e um médico.

“Toda a equipe trabalhou em conjunto”, relatou a médica. “Para gente foi um prazer e uma honra. Quem estava recepcionando eles era o Tropa na fronteira. Eles ficaram felizes
e as crianças estão felizes desde quando passaram pela fronteira. Compramos docinhos para elas e livros.”

O ministro da Secretaria de Informação (Secom), Paulo Pimenta, informou, antes do desembarque, que havia duas crianças desnutridas no avião. Militares constaram o quadro, depois de a aeroplano pousar em Recife (PE), para abastecer. Na Base Aérea de Brasília, havia uma equipe médica esperando a chegada do grupo para atendimento.

A aeroplano desembarcou no lugar às 23h25. No avião, havia 17 crianças, nove mulheres e seis homens. O avião chegou à capital federalista, depois de uma série de paradas, sendo a mais recente na capital pernambucana.

Acompanharam o momento o presidente Lula, a primeira-dama, Janja Lula da Silva, e os ministros Flávio Dino (Justiça), Nísia Trindade (Saúde), Silvio Almeida (Direitos Humanos), Paulo Pimenta (Secom), e outros integrantes do primeiro escalão.

Próximos passos dos brasileiros que vieram de Gaza

Brasileiras repatriadas da Filete de Gaza falam à prelo, ao lado do presidente Lula, na madrugada desta terça-feira, 14 | Foto: Rute Moraes/Revista Oeste

Conforme o Palácio do Planalto, espera-se que o grupo permaneça em Brasília, por 48 horas, onde seus integrantes passarão por atendimento médico, que inclui vacinas previstas no Programa de Imunização do Ministério da Saúde, e assistência social, uma vez que alojamento e alimento.

O governo informou ainda que vai oferecer a possibilidade de registro para aqueles que não tiverem documentos.

Depois desses procedimentos que são padrões, espera-se que essas pessoas dirijam-se para vários Estados, incluindo São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina. Outro grupo será guiado a abrigos (nesse último caso, o Planalto, todavia, não informou os locais).

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies
%d blogueiros gostam disto: