‘Caçadores’ de judeus são presos na Rússia

O Ministério de Assuntos Internos russo divulgou, nesta segunda-feira 30, a prisão de 60 pessoas, a maioria mulçumana, que participaram da invasão ao Aeroporto de Makhachlala, na região do Daguestão, no sul do país. Os invasores queriam “caçar” judeus que chegavam à Rússia em um voo procedente de Israel, no domingo 29.

Os presos foram levados sob custódia para investigação adicional. De acordo com o ministério russo, outras 150 pessoas foram identificadas. Nas redes sociais, vídeos mostram o momento das prisões.

No domingo, a multidão entrou no aeroporto aos gritos de “Allahu akbar” (Deus é maior), derrubando portas e barreiras de proteção. Alguns avançaram para a pista de voo e conseguiram cercar a aeronave. Muitos deles estavam com bandeiras da Palestina.

Ainda de acordo com o Ministério de Assuntos internos da Rússia, durante a ação para restaurar a ordem e prender os invasores antissemitas, nove policiais ficaram feridos, dois deles estão internados. Ao todos, contando com civis, 20 pessoas ficaram feridas.

Nas redes sociais russas, usuários postaram vídeos mostrando os manifestantes derrubando portas e cercando um avião na pista. A imprensa local também divulgou as imagens. Em nota, o ministério russo afirmou que “o aeroporto está sob controle das forças de segurança”.

Devido ao ocorrido, as operações no aeroporto foram temporariamente interrompidas e dezenas de voos cancelados. Segundo o governador do Daguestão, Sergei Melikov, as operações serão normalizadas dentro de dois a três dias. Ele chamou o tumulto de “violação grave da lei”.

“O que aconteceu em nosso aeroporto”, disse Melikov, “é ultrajante e deve ser adequadamente avaliado pelas forças de segurança”.

O chefe do Daguestão apontou o dedo na direção de Kiev, capital da Ucrânia. Ele afirmou que os ucranianos estariam tentando desestabilizar a região instigando os tumultos por meio de um canal no Telegram.

Israel cobrou da Rússia medidas de proteção “a todos os seus cidadãos e todos os judeus”. As autoridades russas disseram que medidas de segurança seriam reforçadas em todas as cidades da região.

Conheça o Daguestão, onde “caçadores de judeus” foram presos

Localizado à beira do mar Cáspio, entre a região Chechênia (Rússia) e o Azerbaijão, a O Daguestão é uma república russa, o que, apesar do nome e de maior nível de autonomia, o torna parte da Federação Russa. A região é considerada o local mais “explosivo” da Rússia e um dos mais perigosos da Europa. Com cerca de 3 milhões de habitantes, a República do Daguestão é composta majoritariamente por mulçumanos, que correspondem a 83% da população.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading