Brasil aprova resolução da ONU que isenta o Hamas

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O governo do Brasil comemorou nesta quarta-feira, 15, a aprovação de uma solução do Parecer de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a guerra entre Israel e Hamas. Porém, a emenda não condena os ataques terroristas do Hamas contra Israel.

Brasil comemora

Em expedido, o Ministério das Relações Exteriores afirmou que recebeu “com satisfação” a aprovação da primeira solução para o conflito.

Segundo o Itamaraty, o Brasil participou “das articulações” no Parecer de Segurança. Essa foi a quinta tentativa do colegiado de concordar uma solução para a guerra, que chegou a seu 39º dia.

Solução

A proposta foi apresentada por Súcia e recebeu 12 votos em prol, incluindo o Brasil, nenhum contra e três abstenções – Estados Unidos, Rússia e Reino Unificado, que são integrantes permanentes do grupo.

Os norte-americanos justificaram sua continência devido ao texto não desaprovar os ataques terroristas do Hamas.

A solução pede a “libertação imediata e incondicional de todos os reféns” mantidos pelo Hamas e “pausas e corredores humanitários urgentes e prolongados em toda a Filete de Gaza por um número suficiente de dias”.

Conselho de Seguranca ONU
Depois de 39 dias de conflitos entre Israel e Hamas e o fracasso de quatro propostas rejeitadas, o Parecer de Segurança da ONU aprovou uma solução. Israel criticou a emenda por não reconhecer terrorismo do Hamas | Foto: Rory Arnold/No 10 Downing Street

Israel critica e rejeita proposta

A solução exige que Israel e Hamas cumpram a teorema em relação ao recta internacional e do recta internacional humanitário, em privativo no que se refere a civis e crianças.

O governo israelense criticou a solução. Em expedido, o Ministério das Relações Exteriores do país afirmou que rejeita o texto, declarando que não há lugar para tais medidas neste momento, uma vez que os reféns ainda estão sendo mantidos em poder do Hamas.

O legado de Israel na ONU, Gilad Erdan, afirmou que a solução é “desconectada da verdade”.

Ele ressaltou que seu país continuará agindo conforme a lei internacional “enquanto os terroristas do Hamas nem sequer lerão a solução, muito menos a cumprirão”.

+ Veja: Israel critica solução do Parecer de Segurança da ONU e a labareda de ‘desconectada da verdade’

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies
%d blogueiros gostam disto: