Bebê de 10 meses está entre reféns mortos, admite Hamas

As Forças de Defesa de Israel (FDI) divulgaram, nesta quarta-feira, 29, que a flanco militar do Hamas emitiu um expedido afirmando que Shiri Bibas, de 32 anos, e seus dois filhos, Ariel, de quatro anos, e Kfir, de 10 meses, foram mortos durante um ataque distraído israelense, na Tira de Gaza. O bebê é o refém mais jovem entre os 240 sequestrados pelos terroristas.

De harmonia com as autoridades israelenses, o Hamas não especificou quando as mortes teriam ocorrido. A pausa no combate está em vigor há seis dias, desde 24 de novembro.

Em outras ocasiões, durante a guerra em curso, o Hamas já havia anunciado a morte de reféns que recentemente acabaram aparecendo nas listas dos libertos. Em função disso, Israel não descarta a possibilidade de ser mais uma estratégia de “guerra psicológica” por secção dos terroristas:

“A organização terrorista Hamas continua a agir de maneira cruel e desumana”, diz o expedido das FDI.

As autoridades israelenses notificaram os parentes das crianças e abriram uma investigação sobre o caso. Por coincidência, o ministro da Resguardo de Israel, Benny Gantz, estava em reunião com membros da família Bibas no momento em que o Hamas emitiu a enunciação.

Família Bibas

“Não há confirmação”, disse. “Continuaremos buscando informações e outras indicações (sobre a verdade)”.

Até portanto, Israel trabalhava com a informação de que o bebê Kfir havia sido entregue pelo Hamas para um outro grupo terrorista menor, também na Palestina. Esse era o motivo indicado pelas autoridades para a dificuldade na libertação da muchacho.

O tropa israelense destacou que a organização terrorista palestina “é responsável pela segurança de todos os reféns mantidos na Tira de Gaza, inclusive aqueles detidos por outras facções.”

As FDI emitiram um expedido alertando sobre a responsabilidade do grupo extremista palestino: “O Hamas está colocando em risco os reféns”, disseram. “O Hamas é obrigado a devolvê-los imediatamente a Israel.”

Conheça a história da família Bibas

A família Bibas – o pai Yarden de 34 anos, a mãe Shiri, de 32 anos, e as crianças Ariel, de 4 anos, e Kfir, de 10 meses – foi sequestrada pelo Hamas durante o massacre de 7 de outubro. Eles moravam no kibutz Nir Oz, próximo à Tira de Gaza.

Yarden aparece em um dos vídeos divulgados pelos terroristas com um ferimento na cabeça. Por esse motivo, os parentes acreditam que ele tenha sido mantido separado da esposa e dos filhos.

Shiri também apareceu em um dos vídeos feitos pelo Hamas durante os ataques. A imagem mostra a mulher carregando as crianças enquanto era levada pelos criminosos.

The Bibas family, including 10-months-old Kfir, 4-year-old Ariel and their mother Shiri were abducted by Hamas on October 7.

Hamas must be held accountable.
Hamas must release all hostages immediately. pic.twitter.com/aizQ6M0Yp2

— Israel Defense Forces (@IDF) November 29, 2023

O cabelo vermelho dos irmãos, acabou fazendo com que eles ficassem conhecidos em Israel porquê “os ruivos”.

Desde o início do cessar-fogo entre Israel e o Hamas, na sexta-feira, 24, murado de 60 mulheres e crianças foram libertadas pelos terroristas. A cada dia, a família Bibas tinha suas esperanças frustradas por não ver os nomes de Shiri, Ariel e Kfir nas listas.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading