Banco Safra processa Americanas e acusa diretoria de fraudes

O Banco Safra entrou nesta segunda-feira, 5, com uma nova ação judicial contra a Americanas, questionando a legalidade de seu plano de recuperação judicial.

O Banco Safra, que tem R$ 2,5 bilhões a receber do grupo varejista, não tinha assinado o acordo firmado entre Americanas e os bancos credores em novembro passado.

A petição do Safra pede a anulação do plano e aponta como o acordo com credores apresente cinco tentativas de fraude.

Diretoria da Americanas foi responsável de fraude, aponta Banco Safra

Segundo os advogados do Safra, o objetivo evidente da Americanas seria de realizar uma “corrida” e tentar aprovar “à fórceps” o plano de recuperação judicial no “encerrar das luzes de 2023″.

Saiba mais: Americanas anuncia acordo com parte de credores

Isso pois o grupo buscaria benefícios tributários exclusivos, para a própria rede de varejo e “instituições financeiras coniventes com a fraude”.

Os advogados do Safra questionaram na peça “graves ilegalidades” que poderiam anular todo o plano de recuperação da Americanas.

Saiba mais: A crise no varejo vai além da Americanas e assim deve seguir

Eles mencionam cinco tentativas de fraudes encobertas no acordo firmado com os bancos credores.

Entre elas, seria o compromisso de não processar a Americanas e os acionistas de referência: Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading