Ameaça nuclear: Rússia testa ‘com sucesso’ míssil balístico intercontinental

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou, neste domingo, 5, o “sucesso” do teste realizado pelo novo submarino do país, Imperador Alexander III. Movido a energia nuclear, o veículo militar fez o lançamento do míssil balístico Bulava, um artefato projetado para transportar ogivas nucleares com alcance de até 8 mil km de distância.

Sem dizer exatamente quando ocorreu o teste, as autoridades russas explicaram que o míssil foi lançado de uma posição subaquática no Mar Branco, na costa norte do país, e teria atingido um alvo a milhares de quilômetros de distância, na Península de Kamchatka, no Extremo Oriente russo.

O lançamento do Bulava acontece no momento em que a Rússia intensifica a retórica nuclear — desde que suspendeu, no inicio de 2023, a participação em um tratado de proibição de testes nucleares. Há três dias, segundo a agência oficial do governo, TASS, o presidente Vladimir Putin assinou a saída definitiva da Rússia do acordo.

A medida foi fortemente criticada pelo governo dos Estados Unidos. O tratado global, de 1996, proíbe todos os testes com armas nucleares, embora nunca tenha entrado em vigor porque alguns países considerados “fundamentais” na questão — entre eles, a China e o próprio EUA — nunca o ratificaram.

O governo norte-americano, em sua página oficial, afirma nunca ter realizado testes nucleares desde o acordo global. “Por mais de 30 anos, os Estados Unidos não têm conduzido testes com explosivos nucleares, e não tem planos de fazê-los”, informou.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse que a saída da Rússia do tratado é “um passo significativo na direção errada”.

Vladmir Putin agência Tass

Putin tem pressionado para manter a dissuasão nuclear. O argumento é de salvaguardar a segurança do país diante das relações estremecidas com o Ocidente, em razão da guerra com a Ucrânia.

O Ministério da Defesa russo explicou que “o disparo de um míssil balístico é o elemento final dos testes estatais, após os quais será tomada a decisão de aceitar o cruzador na Marinha”.

O poder de fogo da Marinha russa

A Marinha russa tem três submarinos nucleares da classe Borei em serviço. Um deles está concluindo testes e outros três estão em construção. O cruzador de mísseis estratégicos da classe Borei é equipado com 16 mísseis Bulava e modernas armas de torpedo.

O míssil Bulava mede 12 metros e tem um alcance estimado em cerca de 8 mil km. A arma pode transportar até seis ogivas nucleares e se tornou o principal elemento da parte naval da tríade nuclear da Rússia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies