Alta Extraordinária de 20,81% nas Ações da Magazine Luiza (MGLU3) em Novembro

Em Novembro de 2023, as ações da Magazine Luiza (MGLU3) na Ibovespa desfrutaram de resultado positivo. Nos primeiros dez dias do mês, a empresa acumulou uma subida expressiva de 20,81%. Mesmo com a divulgação do seu balanço do terceiro trimestre agendado para a próxima segunda-feira, 13 de novembro, a resposta dos analistas mostra-se contida.

Nos últimos dias de transacção, o progressão sumarento das ações da Magazine Luiza parece ser atribuído, principalmente, ao movimento de short squeeze. Neste cenário, investidores decidem assumir riscos com a expectativa de uma queda futura.

Por que a Magazine Luiza (MGLU3) está enfrentando um “short squeeze”?

Técnico da Empiricus Research, Fernando Ferrer explica que o recente aumento da MGLU3 é devido ao short squeeze. Isso ocorre quando muitos investidores vendem suas ações na espera de comprar futuramente a preços mais baixos. Quando o cenário macroeconômico parece melhorar, esses investidores compram de volta suas ações para reduzir a exposição a riscos.

O recente relatório do Comitê de Política Monetária (Copom) criou um envolvente favorável para a Magazine Luiza, com as ações saltando 23,78% na terça-feira. Esse salto foi uma resposta à decisão do Banco Médio de reduzir a taxa Selic para 12,25%. No dia subsequente à decisão, as ações da Magazine Luiza subiram 12,03%.

O que podemos esperar do balanço do terceiro trimestre da Magazine Luiza?

Perante um cenário ainda reptador para a companhia, as previsões dos analistas para o balanço do terceiro trimestre da Magazine Luiza não são otimistas. Gabriel Costa, exegeta da Toro Investimentos, destaca que apesar da redução dos juros que pode beneficiar a empresa, o mercado varejista está se tornando mais competitivo. Isso aumenta a pressão resultando em possíveis baixas nos resultados. “Para os balanços que serão divulgados, a expectativa é de retração das receitas na morada de 3% a/a e de 8% do Ebitda.”

A competição do varejo no final do ano favorece a Magazine Luiza (MGLU3)?

O final de ano normalmente é uma quadra crucial para o varejo brasílico devido à elevação do consumo. Mas, nem Magazine Luiza nem Casas Bahia têm perspectivas otimistas. Ferrer acredita que ambas as lojas podem ter dificuldades para estocar produtos para o final do ano e podem findar não sendo os protagonistas das compras natalinas.

Ferrer advoga que o setor de e-commerce, liderado pelo Mercado Livre (MELI34), será o maior beneficiário das compras de término de ano. “Acredito que eles serão mais coadjuvantes. A minha posição é para o setor de e-commerce, que eu acredito ser o grande vencedor para o segmento”, conclui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies