Agricultores protestam na Europa contra aumento de custos

Iniciados há algumas semanas e intensificados nos últimos dias, os protestos de agricultores estão sendo realizados em várias cidades da Europa. Nesta quinta-feira, ao menos mil agricultores foram, em seus tratores, para a capital da Bélgica, sede da União Europeia, protestar contra o aumento do custo de produção, que se tornou frequente nos últimos anos, especialmente em razão de imposições ambientais.

Nas redes sociais, dezenas de vídeos mostram os tratores chegando a Bruxelas. Alguns manifestantes também atearam fogo a pneus e fizeram bloqueios. A imprensa informa que houve conflito com policiais, mas sem gravidade.

A imprensa belga informou que “a polícia adotou uma abordagem centrada no diálogo nos últimos dias, para evitar qualquer escalada, mas vai intervir se for necessário e os atos de destruição serão punidos”.

????BREAKING | As the farmers are fighting for their livelihoods and our freedom outside of the European Parliament in Brussels, the Eurocrats just agreed to send another 50 billion euro to Ukraine.

They laugh at us. They despise us. They hate us. pic.twitter.com/2AvCfOboO8

— Eva Vlaardingerbroek (@EvaVlaar) February 1, 2024

Na França, os protestos têm sido frequentes. Depois de Paris, os agricultores conseguiram alcançar o centro de Lyon.

Os protestos dos agricultores continuam com seus tratores invadindo as ruas e cidades de vários países europeus. Mas é na França que os protestos estão se tornando mais intensos.

Na noite de terça-feira, 30 de janeiro, os agricultores avançaram para cercar a terceira cidade… pic.twitter.com/sxgrOtL6cI

— Karina Michelin (@karinamichelin) January 31, 2024

Diversos países europeus já registraram protestos de agricultores contra o aumento dos custos de produção e o aumento das obrigações ambientais. Na Alemanha, a mobilização começou ainda no ano passado. Mas produtores rurais da Polônia, Romênia, Eslováquia, Hungria e Bulgária também estão descontentes.

Além dos custos elevados em razão das imposições ambientais, eles denunciam a “concorrência desleal” da Ucrânia, que estaria vendendo produtos agrícolas por um subpreço. Em razão da invasão da Rússia, nenhuma medida foi adotada pela União Europeia.

A reação dos agricultores europeus começou em junho de 2022, quando criados de gado da Holanda se revoltaram contra a determinação do governo de reduzir o rebanho bovino para diminuir as emissões de gás carbônico. 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading