Agricultores protestam contra ‘agenda verde’ da União Europeia

Agricultores da Grécia e da República Tcheca protestaram contra as políticas agrícolas da União Europeia (UE), nesta semana. Entre as demandas estão uma revisão na proposta do acordo com o Mercado Comum do Sul (Mercosul), do qual o Brasil participa.

Na República Tcheca, os atos aconteceram na última segunda-feira, 19, quando os agricultores bloquearam uma pista no centro da capital, Praga. De acordo com a CNN, as principais organizações agrícolas não estão mais participando dos atos, depois que descobriram ligações com manifestações pró-Rússia.

Os manifestantes tchecos planejavam entregar uma carta com as reivindicações ao ministro da Agricultura, Marek Vyborny. Assim como na Grécia e em outros países da União Europeia, os manifestantes são contrários às medidas ambientais promovidas pelo bloco aos produtores locais.

A UE criou um sistema de Política Agrícola Comum (PAC), que estabelece diversas regras aos produtores rurais. Os manifestantes são contra o sistema por considerarem que as medidas ambientais impostas, junto de altos custos com energia e combustível, reduzem os lucros do setor.

Agricultores gregos sobem o tom contra a União Europeia

Na Grécia, os protestos aconteceram nesta terça-feira, 20, quando agricultores dirigiram tratores em direção ao Parlamento. Eles exigem uma simplificação do PAC, com os mesmos argumentos dos tchecos. 

O presidente do Sindicato Nacional das Cooperativas Agrícolas da Grécia, Pavlos Satolias, esteve em uma reunião com o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, nesta terça-feira. Ele apresentou as reivindicações da classe.

“Em um ambiente favorável de diálogo, chegamos a um acordo sobre como, a partir de agora, poderemos ver o futuro da agricultura grega com as mudanças estruturais que serão precisas”, comentou Satolias, depois do encontro.

Manifestantes são contra acordo com o Mercosul

Os manifestantes também querem uma revisão na proposta de acordo com o Mercosul. Os agricultores exigem que os países do bloco sul-americano sejam submetidos às mesmas regras dos europeus. Eles argumentam que seus produtos serão menos competitivos por causa da regulação ambiental.

O vice-presidente-executivo da União Europeia, Maros Sefcovic, comentou o acordo durante sessão no Parlamento Europeu. “As condições necessárias para a conclusão do tratado com o Mercosul não foram atendidas”, disse.

Já o porta-voz da UE disse que as negociações dos termos com o Mercosul continuam para “alcançar um acordo que respeite as sensibilidades, especialmente no setor agrícola”.

Para o acordo ser aprovado, é necessária a aprovação dos 27 países integrantes do bloco europeu. Porém, o governo francês tem se mostrado contra a ideia.

Os atos estão sendo realizados em cerca de nove países da União Europeia: Alemanha, Bélgica, França, Grécia, Itália, República Tcheca, Romênia, Polônia e Espanha.

YouTube video

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies