Ações que MENOS pagaram dividendos em 2023; Quais devo evitar?

Com a evolução crescente do mercado de ações e os ganhos proporcionados pelos dividendos, muitos investidores buscam estratégias eficientes para potencializar seus rendimentos. Em meio a empresas que entregaram bons retornos em 2023, algumas delas, no entanto, ficaram abaixo do esperado.

No ano de 2023, de acordo com análises do mercado, o Índice de Dividendos (IDIV) apresentou uma alta de 25%, uma porcentagem superior à do Ibovespa, que atingiu 23%. Entretanto, dois grandes papéis, segundo as análises do mercado, foram aquém nas expectativas – a Transmissão Paulista (TRPL4) e a Taesa (TAEE11).

Qual foi o desempenho dessas ações?

João Abdouni, analista da Levante Corp, ressalta que apesar das altas significativas desde 2016, a receita de Transmissão Paulista e Taesa, que são ajustadas por contratos ligados ao IPCA e IGP-M, índices que mensuram a inflação, vieram com pagamentos de proventos menores do que em períodos anteriores devido ao alívio nas taxas. O total acumulado do IGP-M percebeu uma queda de 3,76% em 2023. Em novembro, houve um aumento de 0,59% comparado ao mês de outubro.

Futuro das ações e recomendações?

Neste cenário, a Levante Corp tem uma perspectiva de compra para as ações da Transmissão Paulista, enquanto a visão para a Taesa é neutra. Luan Alves, da VG Research, cita ainda a Vale (VALE3) e a Petrobras (PETR4), empresas que pagaram dividendos históricos no ano passado, impulsionados pela disparada do minério de ferro e do petróleo.

No caso da Petrobras, houve a chegada de uma nova gestão após a vitória do presidente Lula. Em agosto, a empresa modificou a sua política de dividendos, prevendo pagamento de 45% de seu fluxo livre de caixa em dividendos, ao invés dos 60% anteriores. Este fator gerou a maior queda de proventos do mundo; a empresa pagou, na comparação anual, US$ 9,6 bilhões a menos em dividendos.

Conclusão

Em relação às ações da Petrobras e Vale, analistas continuam otimistas. A estatal apresenta bons resultados operacionais e financeiros, além de perspectivas de aumento na produção com menores custos operacionais. Para a Vale, a evolução operacional com controle de custos e a alocação de capital disciplinada, mesmo em um ambiente externo incerto, colocam a empresa em destaque devido ao elevado nível de retorno ao acionista. Sendo assim, as expectativas para o futuro dessas ações são positivas, devendo trazer mais rentabilidade aos investidores.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Mais informação

Política de Privacidade e Cookies

Descubra mais sobre Brasil em Pauta Notícias

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading